Covid-19: Mortes de jovens aumentam em periferias de São Paulo

Por Rádio Bandeirantes

Cresceu o número de óbitos e internações de pessoas entre 18 e 49 anos com Covid-19 no Hospital Tide Setúbal, que é da prefeitura de São Paulo e fica em São Miguel Paulista. A cada três mortes confirmadas pelo coronavírus, uma vítima tem menos de 50 anos. As informações são do repórter Lucas Herrero, da Rádio Bandeirantes.

Esse é o cenário encontrado no centro médico que é referência no tratamento de casos da epidemia na zona leste. As informações são do próprio diretor do Tide Setúbal, local onde a maioria dos internados com Covid-19 não é da terceira idade.

LEIA MAIS:
Xenofobia e preconceito cresceu ‘online e nas ruas’ após covid-19, diz ONU
São Paulo pode ter 11 mil mortes por coronavírus até o fim de maio

O doutor Carlos Alberto Velucci conta que, no último mês, virou rotina a chegada de jovens infectados e que, como consequência, transmitem o vírus para os familiares.

"Nós temos um caso de um pai com 57 anos que foi contaminado pelo filho e ficou internado com ele. O pai teve alta depois de 22 dias e o filho (que não tinha comorbidade) foi a óbito no quarto dia", disse.

O jovem de 23 anos faz parte da triste estatística de 104 óbitos pela doença no hospital, sendo 59 confirmados. Ele é um exemplo do que a maioria dos jovens da zona leste, que parecem não acreditar na gravidade do momento.

"O maior motivo de contaminação é o não uso de máscara e a troca através de bebida alcoólica comunitária, usando o mesmo copo, uso de narguilé e de droga. Um, dois ou três consumindo a mesma droga", aponta o médico como sendo estas as principais causas da contaminação das pessoas nessa faixa etária.

Aliás, dos 101 leitos para Covid no Tide Setúbal, 81 estão preenchidos e dois terços dos internados são homens.

Hospital Tide Setúbal na zona leste de São Paulo Hospital Tide Setúbal na zona leste de São Paulo / Divulgação/Prefeitura de SP

LEIA MAIS:
Inscrições para o Enem 2020 começam na próxima segunda-feira
Bloqueio total já atinge ao menos 6,8 milhões de brasileiros

Sobre a taxa de ocupação geral, beira os 86%. Mas o diretor Carlos Alberto Velucci afirma que esse número elevado não é uma exclusividade dos tempos de pandemia. O hospital sempre funcionou lotado de acordo com ele.

Na UTI, o cenário é ainda mais preocupante. Já são 93% de ocupação e mais 14 pacientes do Hospital Ermelino Matarazzo precisam ser transferidos para o Tide Setúbal o quanto antes.

A boa notícia é que 10 leitos de UTI estão sendo inaugurados nesta sexta-feira, 08, aumentando a capacidade para 41 internações. Antes do surto, o Tide tinha apenas sete vagas de alta complexidade.

Ao todo, 536 pessoas com coronavírus foram tratadas no hospital e mais da metade, 275 receberam alta.

Segundo o diretor Carlos Alberto Velucci, apesar dos 76 profissionais afastados, não falta pessoal no atendimento e o estoque de Equipamento de Proteção Individual está garantido pelos próximos 45 dias.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo