Exame que permite que médicos atuem no Brasil, Revalida não é aplicado desde 2017

Por Band News FM

O Revalida, exame criado em 2011 para autorizar brasileiros formados no exterior a trabalhar no País, não é realizado desde 2017.

O assunto volta à tona, agora, quando faltam profissionais de saúde, levando a medidas como o adiantamento das formaturas de quem está perto de concluir o curso de Medicina. A pandemia de coronavírus tem causado baixas, com o afastamento de centenas de profissionais.

Por isso, há quem defenda que médicos hoje impossibilitados de exercer a profissão possam ter o direito de trabalhar. Estima-se que cerca de 15 mil profissionais aguardam, no Brasil, para fazer a prova do Revalida e obter o CRM, o registro da profissão.

Em novembro do ano passado, foi aprovado no Congresso um projeto de lei que acelerava o processo e garantia a execução do exame em 2020. No entanto, o presidente Jair Bolsonaro vetou trechos do texto, o que travou a medida.

Formado na Bolívia, o médico Flávio Lima Barreto é um dos que esperam por uma oportunidade. Para Flávio, a situação no Brasil é complicada por causa da burocracia exagerada.

Cerca de 22% dos médicos que atuam nos EUA, por exemplo, são formados no exterior. Na Inglaterra, são 36%. Nesses países também há exame para a revalidação do diploma, mas o processo é mais ágil.

Em nota, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira informou que a prova do Revalida ocorrerá ainda em 2020. O INEP justificou que a demora está relacionada a pendências da prova de 2017. Isso porque alguns participantes precisaram refazer o exame e o resultado só saiu em abril de 2019.

Loading...
Revisa el siguiente artículo