Covid-19: quatro tipos de pacientes e como o pulmão é afetado

Por Metro Jornal

Com quase 800 mil casos confirmados de covid-19 no mundo, os especialistas puderam observar alguns padrões de como a doença afeta as pessoas. Agora já é possível saber as características dos sintomas em cada tipo de paciente e como isso afeta os pulmões. Até onde conhecemos a doença, eles podem ser categorizados em quatro tipos:

• 1. Intensidade fraca; sem sintomas
Apesar de a doença poder infectar qualquer pessoa, é importante saber que há quem não apresente nenhum sintoma. Esses são conhecidos como pacientes do primeiro tipo, de acordo com o professor John Wilson, presidente da Royal Australasian College of Physicians. Por não apresentarem nenhum sintoma, os pulmões não são afetados.

• 2. Intensidade fraca; com sintomas
Esses pacientes apresentam sintomas, mas são menores em comparação com os dois tipos seguintes. Os problemas de saúde que podem apresentar vão desde febre e tosse até sintomas menos fortes, como dor de cabeça. Isso é causado por uma infecção no trato respiratório superior.

Os pulmões podem não ser afetados de maneira grave, ainda que os pacientes possam apresentar ligeira inflamação no órgão causada pela tosse. Quando a inflamação piora é que começam os principais problemas.

• 3. Intensidade média; com sintomas
São aqueles mais propensos a acabar hospitalizados. Os sintomas que apresentam se tornam tão fortes que não podem realizar tarefas em casa nem trabalhar. Os pulmões apresentam inflamação e irritação na árvore brônquica (ou respiratória).

• 4. Intensidade grave; com sintomas
São aqueles pacientes que apresentam sintomas fortes, por isso a doença é muito mais potente neles. Aqui os problemas se apresentam muito mais sérios, pois pode se desenvolver uma pneumonia. Neste caso, a inflamação se torna mais grave e é possível observar material inflamatório nos alvéolos, o que pode causar grandes problemas respiratórios. Este quadro, obviamente, requer hospitalização.


Alerta: mais jovens podem ser graves

Se engana quem pensa que, entre jovens e adultos, complicações mais sérias em decorrência da covid-19 são raras. Na verdade, 48% dos casos graves da doença no Brasil estão abaixo dos 60 anos. Segundo o levantamento do Ministério da Saúde, mortes nessa faixa etária (abaixo dos 60) representam cerca de 10% do total no país.

Loading...
Revisa el siguiente artículo