Faltam profissionais habilitados para operar respiradores em UTIs

O Brasil conta hoje com 65.411 aparelhos desse tipo, mas a quantidade pode não ser suficiente

Por Fábio França - BandNews FM

A falta de profissionais habilitados para operar respiradores em UTIs é mais um obstáculo que o Brasil tem de enfrentar no combate ao novo coronavírus. Em circunstâncias normais, apenas uma pequena parte de pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva, por exemplo, precisa do auxílio de um respirador para sobreviver.

Com a Covid-19, essa realidade tende a mudar: o Brasil conta hoje com 65.411 aparelhos desse tipo, mas a quantidade pode não ser suficiente. Com tanta gente doente ao mesmo tempo, segundo médico pneumologista Ítalo Bonatto, especialista da Unifesp e membro da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, o gargalo deve afunilar rapidamente. Ele conversou com a reportagem da BandNews FM.

Veja também:
Morre o deputado federal Luiz Flávio Gomes, aos 62 anos
Acordo barra venda de ‘soro da imunidade’ contra coronavírus

Some-se a isso, a falta de profissionais capacitados para operar o equipamento no país, pois não é todo médico que trabalha em UTI que está apto a manusear um respirador. Hoje, o Brasil conta com 6.562 médicos intensivistas.

De acordo com a presidente da Associação de Medicina Intensivista Brasileira, Suzana Lobo, os próprios hospitais precisam ser responsáveis por habilitar profissionais a operar os respiradores. No entanto, o pneumologista Ítalo Bonato indica que a tarefa não é simples e ressalta que tudo precisa ser feito com urgência.

Loading...
Revisa el siguiente artículo