Mãos ressecadas de tanto lavar? 5 dicas para evitar dermatites e outros problemas

Por Angela Corrêa - Metro Jornal São Paulo

Antes mesmo do isolamento social a que parte da população pode se submeter, a lavagem "obsessiva" das mãos era indicada como um dos principais fatores de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus.

Leia mais:
Álcool gel some das prateleiras e gera corrida em São Paulo
Dá para se exercitar dentro de casa? Dá, sim, senhor

Em casa, a faxina também se tornou bem específica e pesada, já que o cloro é considerado como o produto ideal para evitar a contaminação, já que tem ação contra o vírus e preço acessível. Fora a necessidade de limpar bem toda embalagem que entra em casa.

Com tanta agressão, haja pele! Antes que você fale que, diante de uma pandemia, pensar em hidratação é frescura, vamos aos fatos:

"A pele ressecada pelo excesso de lavagens pode estar com sua barreira natural de proteção (que chamamos de manto hidrolipídico) comprometida. Isso pode deixar a pele mais propensa a desenvolver dermatites irritativas, alérgicas e, eventualmente, até a quadros infecciosos", alerta a dermatologista Carla Albuquerque, de São Paulo.

A boa notícia é que você não precisa trocar um problema por outro. Dá para continuar lavando muito bem as mãos e ambientes para se proteger sempre que precisar sair para comprar alimentos e remédios.

Basta fazer escolhas melhores. Afinal, agora é hora de se manter o mais saudável possível para garantir que os esforços médicos se voltem para o controle do surto da covid-19.

Veja as dicas da médica abaixo:

1 – Água e sabonete OU álcool gel. Nunca os dois juntos

Em casa ou em um ambiente que disponha de pia e sabão, opte sempre por lavar as mãos. O sabonete é suficiente para deixar as mãos limpas. O álcool gel é uma opção para fazer a assepsia quando não é possível MESMO fazer a lavagem. "Associar os dois métodos pode ressecar ainda mais a pele e deixá-la mais propensa a quadros de dermatites", diz a dermatologista.

2 – Fique de olho na composição do sabonete

E isso não significa que você vai precisar gastar muito. Ativos como glicerina, pantenol, manteigas de karité ou cacau e vitamina E ajudam a minimizar os danos. Basta reparar na embalagem do produto que for levar para casa.

3 – Hidrate as mãos a cada lavagem

Pensando nos mesmos ativos hidratantes para o sabonete, garanta um produto para proteger as mãos a cada lavagem ou uso de álcool gel. "Para recuperar a barreira cutânea que está fragilizada pelo excesso de lavagens, é muito importante aplicar cremes ou loções hidratantes, depois de lavar e secar as mãos várias vezes ao dia", diz Dra. Carla Albuquerque.

4 – Use luvas para fazer toda a faxina

Isso vale para qualquer momento em que se precise usar produtos de limpeza em casa, mesmo quando a pandemia for embora! É a única maneira de proteger a pele. Tente escolher um modelo que seja forrado de algodão para mais conforto.

5 – Abra as janelas para a vitamina D

A vitamina D é uma grande aliada da saúde – e não só da pele. Como está difícil tomar um  sol, principal fonte de obtenção da vitamina, é ´preciso improvisar. Deixe a janela aberta e exponha uma parte do corpo por 15 minutos aos raios de sol. Vale braços, mãos, pernas. O que for possível. Com a prescrição de um médico, também é possível suplementar a vitamina D em cápsulas. Os alimentos também ajudam nessa missão. Aumente a ingestão de:

  • peixes (salmão e sardinha)
  • óleo de figado de bacalhau
  • cogumelos (preferencialmente o Portobello)

 

Fonte: Dermatologista Carla Albuquerque,  membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia e International Fellow da Academia Americana de Dermatologia

 

 

 

 

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo