5 dicas para manter a alimentação saudável das crianças (mesmo em tempos de quarentena)

Por Verônica Fraidenraich - Canguru News

Durante as férias é comum deixar as crianças se deliciarem com guloseimas que não fazem parte da rotina da casa. Agora, no entanto, os pequenos estão em casa, mas não de férias – e nós não sabemos por quanto tempo durará o confinamento devido ao coronavírus. Sendo assim, não dá para simplesmente esquecer as regras até a vida voltar ao normal. Como manter os hábitos e garantir uma alimentação saudável para as crianças em tempos de quarentena?

Leia mais:
Coronavírus: Unicef e OMS dão orientações de como falar sobre o assunto com as crianças25/03/2020
Contação de histórias para crianças nas redes sociais

Para grande parte das mães, já não era fácil antes. Uma pesquisa realizada pela Abbott Nutritition revelou que 51% das mães brasileiras afirmam ter dificuldades para alimentar os filhos. Elas reclamam que os filhos comem pouco, querem sempre a mesma coisa ou não se interessam pela comida. O estudo, para o qual foram ouvidas 984 mães de todas as regiões do Brasil, mostrou que esse comportamento é mais comum entre os 3 e os 7 anos de idade.

Por mais desafiador que seja, a hora é de mostrar às crianças que os bons hábitos da família precisam ser mantidos. Confira as dicas dos especialistas para estimular os pequenos seguirem uma alimentação saudável, que inclua frutas, legumes e hortaliças.

1. Preparar o alimento. Ao se envolver com o preparo do prato, a criança fica mais estimulada a querer provar algo que ela mesma ajudou a fazer, claro que sempre supervisionada de um adulto.

2. Arrumar a mesa. Participar das tarefas da casa é algo que educadores incentivam desde cedo. Crianças de 2 ou 3 anos podem ajudar a montar a mesa da refeição, colocando os guardanapos, por exemplo, e à medida que crescem podem colaborar também a retirar pratos, copos e talheres.

3. Se servir sozinho. "A criança deve ser estimulada a escolher o que quer comer e em que quantidade. "É importante estimular a percepção da própria criança em relação ao quanto ela vai comer de acordo com a fome daquele dia, daquele momento", sugere a nutricionista Débora Sasdelli, da Nutrebem.

4. Saltar refeições. Café da manhã, almoço e jantar são as principais refeições do dia e não podem ser substituídas por alimentos que tragam maior teor calórico e menor valor nutricional. “Já os lanches podem ser mais leves, compostos por bolachas, frutas e pão”, diz Isabela Lorizola, consultora em nutrição da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (Abimapi).

5. Explicar as propriedades dos alimentos. Não é para atordoar a criança falando das funções benéficas de cada alimento, mas ao servir o arroz com feijão, por exemplo, vale dizer que essa “dupla” faz parte dos alimentos saudáveis e contém uma série de vitaminas e nutrientes. E que comer esses alimentos, portanto, faz um bem enorme ao corpo.

Confira aqui mais cinco dicas que vão ser úteis na sua casa. Aproveite o tempo que terão juntos para investir na qualidade da alimentação na sua casa.

Loading...
Revisa el siguiente artículo