Witzel e Caiado criticam pronunciamento de Bolsonaro e afirmam que vão manter quarentena

Por Metro Jornal com Rádio Bandeirantes

Antigos aliados de Jair Bolsonaro, os governadores do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC) e de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), criticaram o pronunciamento do presidente sobre o coronavírus nesta quarta-feira (25).

Em pronunciamento na televisão na noite desta terça-feira (24), e na manhã desta quarta nas redes sociais, Bolsonaro voltou a falar em "histeria" e defendeu a reabertura de escolas e do comércio.

Witzel afirmou que não concorda e vai manter a quarentena no estado. O governador disse ainda que a fala do presidente não encontra eco nas opiniões técnicas dos especialistas em saúde.

Veja também:
Governadores, deputados e senadores condenam pronunciamento de Bolsonaro sobre coronavírus
Reunião com governadores do Sudeste tem bate-boca entre Bolsonaro e Doria

Caiado, por sua vez, rompeu com o governo de Bolsonaro, o chamou de "irresponsável" e afirmou que não tem mais diálogo com o presidente. "Não tem mais diálogo com este homem. As coisas tem que ter um ponto final", declarou.

“Com tranquilidade, mas com a autoridade de governador e de médico, eu afirmo que as declarações do presidente não alcançam o estado de Goiás. As decisões em Goiás serão tomadas por mim, com base no trabalho de técnicos e especialistas”, afirmou.

O governador de Goiás foi o responsável pela indicação de Luiz Henrique Mandetta para o Ministério da Saúde. Os dois são formados pela mesma universidade e Caiado costumava brincar que o atual ministro era seu calouro.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo