Bolsonaro volta a criticar medidas de isolamento contra coronavírus

Por Nathália Pase - BandNews FM

O presidente Jair Bolsonaro disse na manhã desta quarta-feira (25) que os prefeitos e governadores estão "arrebentando com o país e acabando com os empregos" ao tomar medidas de isolamento para tentar frear a disseminação do novo coronavírus. Ele respondeu a perguntas de jornalistas na saída do Palácio da Alvorada, em Brasília.

"Não estou preocupado com a minha popularidade", afirmou o líder do executivo ao ser questionado sobre os dados recentes que mostram uma queda na avaliação de seu governo, como a pesquisa do Ibope encomendada pela ACSP (Associação Comercial de São Paulo).

Veja também:
Porto Alegre confirma primeira morte por coronavírus no Rio Grande do Sul
As recomendações para contenção da covid-19 em condomínios residenciais

O presidente acusou os governadores do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), e de São Paulo, João Doria (PSDB), de fazerem demagogia. "Estão proibindo o tráfego de pessoas, de rodovias, fechando empresas e comércios. Temos 38 milhões de autônomos. Uma parte considerável deles não está ganhando o seu ganha-pão. O que tinham na geladeira praticamente acabou. Não tem renda e tem família", disse Bolsonaro.

O presidente reforçou o pronunciamento da noite anterior ao dizer que "se a economia colapsar, não tem dinheiro para pagar servidor público", acrescentando que "o caos está aí, na nossa cara. Vamos ficar com o caos e o vírus."

Bolsonaro afirmou ainda que é preciso "botar esse povo para trabalhar" e preservar os idosos, mas ressaltou que cada família deve ser responsável pelos seus parentes. "O povo tem que parar de deixar as coisas em cima do poder público."

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo