Coronavírus: São Paulo decreta situação de calamidade pública; veja o que muda

Por BandNews FM

O Estado de São Paulo decreta situação de calamidade pública por conta do avanço do novo coronavírus. A medida, anunciada nesta sexta-feira (20) pelo governador João Doria (PSDB), será publicada no Diário Oficial deste sábado (21) e tem por objetivo desburocratizar processos e acelerar decisões.

A partir de segunda-feira (23), serviços públicos em todo o Estado de São Paulo que não são considerados essenciais vão ficar suspensos até 30 de abril. Os atendimentos de unidades como Poupatempo, por exemplo, serão feitos pela internet.

Os parques estaduais e as unidades de conservação ambiental de São Paulo vão ficar fechados a partir do dia 23 de março, incluindo o Zoológico, Zoo Safári e Jardim Botânico, entre outros.

Veja também:
Poluição pode ter acelerado epidemia na Itália
Com 128 casos, Argentina decreta quarentena obrigatória

O governador de São Paulo, João Doria, reiterou o acordo firmado com supermercados para oferta de álcool em gel a preço de custo em todas as regiões do Estado. A medida começa a valer no dia 23 deste mês e, após acordo com a Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias), valerá também para farmácias. O acordo prevê ainda o limite de duas unidades por pessoa para evitar desabastecimento.

Já o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anunciou o fechamento de todos os parques municipais a partir deste sábado, por tempo indeterminado. Ele diz que a recomendação foi feita pela Vigilância Sanitária, que observou um grande movimento nos espaços nos últimos dias.

Bruno Covas voltou a prometer que vai dobrar a quantidade de leitos em UTI; serão entregues 490 novos equipamentos para a rede pública da cidade de São Paulo, além de 2 mil novos leitos de baixa complexidade.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo