Coronavírus: os cuidados para utilizar o transporte público em São Paulo

Por BandNews FM

Em meio à tantas dúvidas sobre a pandemia do coronavírus, uma coisa é clara: quanto menos gente aglomerada, menores as chances de contágio. Por essa razão, o ideal é manter uma distância de um a dois metros, o que nem sempre é viável no transporte público de São Paulo.

Mas o cenário de caos tem se transformado nos últimos dias, já que muitas empresas liberaram os funcionários para trabalharem de casa. Desde o início da semana, a redução foi de 20% no movimento de ônibus da EMTU e trens da CPTM e do Metrô.

O secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, garante que todos os meios de transporte têm passado por uma higienização reforçada. Mesmo com a queda do número de passageiros, a frota de ônibus e trens na cidade de São Paulo será mantida em 100% para evitar aglomerações.

Veja também:
Metade dos estudantes no mundo está sem aulas pelo coronavírus
Doria determina fechamento dos shoppings da Grande São Paulo até fim de abril

O fechamento total das escolas municipais e estaduais em São Paulo a partir do próximo dia 23 também vai impactar o movimento no transporte público. E para evitar a circulação de jovens, o Passe Livre Estudantil será suspenso.

Mas que fique bem claro: todas essas medidas anunciadas pelas autoridades dependem também de ações individuais. O combate à disseminação do coronavírus no transporte público depende essencialmente de hábitos de higiene, como lembra infectologista do Hospital Albert Sabin Dania Abdel Rhaman.

Os governos municipais e estaduais se comprometeram a aumentar a disponibilidade de sabonetes nos banheiros de estações e terminais de São Paulo. O secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, e a infectologista Dania Abdel Rhaman foram entrevistados ao vivo pelos apresentadores Eduardo Barão e Sheila Magalhães.

Loading...
Revisa el siguiente artículo