Dança das cadeiras

Por fabiosaraiva

A troca de roupa partidária de cinco vereadores de Campinas vai prejudicar principalmente o PMDB, que ficará sem representação na Câmara. Os peemedebistas Cid Ferreira e Zé Carlos estão de malas prontas para o novo Solidariedade, liderado pelo ex-vereador Dário Saadi, e cujo cacique-mor é o sindicalista Paulinho da Força. Outro que vai para a nova legenda é o vereador Tico Costa, que deixa o PP.

O Solidariedade nasce robusto na cidade. Já o PROS, bebezinho ainda, conseguiu atrair um vereador: Cidão Santos, que deixou o PPS. O professor Alberto, que estava sem partido, foi para o PR. O saldo da dança de cadeiras é o encolhimento do PPS e do PP, além da extinção (na Câmara) do PMDB. A pergunta agora é qual é o papel que o Solidariedade assumirá: de oposição ou de situação? Serão independentes, respondem. Saadi não quis comentar o papel político da legenda no Legislativo campineiro.

 

Termômetro 

O líder de governo, Rafael Zimbaldi (PP), disse que as audiências públicas de hoje e de amanhã irão dar o termômetro sobre o pacote tributário do governo Jonas Donizette (PSB). Entre as propostas estão o aumento da alíquota do ITBI, imposto cobrado sobre transação comercial de imóveis na cidade, e alteração do ISS, tributo que incide sobre prestação de serviço. A certeza é quanto à posição do vereador Artur Orsi (PSDB). O tucano tem usado a tribuna para criticar o aumento de imposto. E esse posicionamento tem irritado o governo e os vereadores da base de sustentação. Não dá para ter o céu e o inferno, dizem.

Loading...
Revisa el siguiente artículo