Rio bate recorde de ônibus queimados e prejuízo passa de R$ 20 milhões

Por fabiosaraiva
Ônibus incendiado na Mangueira | Tiago Ramos/Futura Press Ônibus incendiado na Mangueira | Tiago Ramos/Futura Press

Não importa o motivo. Seja protesto por mortes em favela ou até falta d’água, a decisão dos manifestantes para chamar a atenção tem sido quase sempre a mesma: queimar ônibus.

Nesta semana, foram cinco (três na Região dos Lagos e dois na Mangueira). Ao todo, já foram 64 este ano, mais de um por semana. Segundo a Federação de Ônibus do Estado, isso significa um prejuízo de quase R$ 23 milhões, já que cada veículo custa R$ 350 mil. Isso sem contar outros 762 coletivos depredados.

O número se torna mais alarmante se considerarmos que no ano passado foram cinco casos, em 2012 houve apenas um incêndio e em 2011 nenhum.

A Fetranspor afirma que casos de ônibus incendiados não são cobertos por seguro e o Estado não os indeniza. Com isso, a conta fica para ser discutida junto com o reajuste da tarifa no ano seguinte. Resultado: a população perde ao ter menos coletivos nas ruas e ainda deve sentir o impacto das ações violentas no bolso.

 

Aeroporto de Maricá Aeroporto de Maricá

Acabou o sonho do Quaquá!

O ministério da Aviação Civil vai anunciar hoje a transferência do aeroporto de Maricá para a administração do Governo do Estado e, com isso, tirar das mãos do prefeito Washington Quaquá, também presidente regional do PT no Rio.

Oficialmente, o ministro Moreira Franco vai cumprir a nova norma federal que diz que somente municípios que arrecadam mais de
R$ 1 bilhão podem administrar aeroportos.

Mas, mesmo que seja algo velado, todo mundo sabe que a rapidez em colocar isso em prática logo em Maricá se dá pelas lambanças feitas ali. No ano passado, a Guarda Municipal colocou viaturas na pista para impedir pousos, ignorando que a pista era liberada pela Anac. Alguns pilotos chegaram a arremeter. Além disso, a queda de um monomotor deixou duas pessoas mortas no município. O Ministério Público passou a investigar os casos.

Depois de tanta polêmica, Quaquá fechou o aeroporto no começo do ano para fazer obras, ainda não iniciadas. A ideia dele era ganhar dinheiro com uma boa licitação do espaço para servir de apoio à indústria do petróleo. Mas parece que deu com os burros n’água.

 

Âncora da rádio BandNews FM e diretor de jornalismo da Band Rio, Rodolfo Schneider escreve às quintas-feiras.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo