O Santos precisa eleger um Prestes Maia

Por fabiosaraiva

odir-cunha colunistaCom um rosto rechonchudo que lembrava Alfred Hitchcock, Francisco Prestes Maia, o prefeito que mais fez por São Paulo, vivia os últimos momentos de seu mandato, na noitinha de 10 de novembro de 1945, quando foi alertado pela secretária: “Doutor, o carro está esperando para levá-lo para casa!”. Incontinenti, Prestes Maia protestou: “Suspenda o carro. Não sou mais prefeito de São Paulo. Vou pra casa de bonde”.

O grande prefeito fazia questão de ser honesto. Era dessas pessoas que nasceram para governar, em quem temos prazer e confiança de confiar nosso destino de cidadão. Agora, eu pergunto: qual desses cinco candidatos a presidente do Santos mais se parece com Prestes Maia? Nas mãos de quem podemos depositar nossos sonhos sobressaltados de santista?

Será um dos dois adversários históricos, que esta semana firmaram um conchavo que só durou um dia? Ou o rapaz que não conseguiu ser vereador? Ou ainda o empresário que é candidato da situação, mas diz que é da oposição? Ou ainda José Carlos Peres, o homem do octacampeonato? Só as urnas do dia 6 de dezembro darão a resposta. Eu torço para que seja alguém tão competente e ao mesmo tempo tão desapegado do poder como foi Prestes Maia. Mas, admito, é pedir muito.

Odir Cunha é jornalista multimídia com 38 anos de experiência, dois prêmios Esso e três da APCA. Escritor com 21 livros publicados, 10 deles sobre o Santos, é editor da Editora Magma Cultural, editor de conteúdo do Museu Pelé e dono do blog http://blogdoodir.com.br/ Escreve no Metro Jornal de Santos

Loading...
Revisa el siguiente artículo