Mico Damião?

Por fabiosaraiva

odir-cunhaO time passou por Corinthians e Botafogo-SP, aplicando em ambos acachapantes goleadas de 5 a 1. Gabriel e Geuvânio, em contra-ataques vertiginosos, colocaram as defesas adversárias em polvorosa. Mas chegou a hora de estrear o centroavante Leandro Damião. Afinal, nenhum clube paga R$ 42 milhões a um jogador para deixá-lo na reserva.

Ainda com reflexos lentos, pouca impulsão e a mesma falta de habilidade de sempre, o simpático Damião está fazendo o que pode, o que é muito pouco pelo que custou. Dois jogos, nenhum gol, nenhuma jogada digna de nota.

Ouvi de fonte segura que o próprio Renato Duprat, agente da Doyen, empresa que emprestou o dinheiro para a transação, ficou surpreso com o preço pago pelo Santos. Para Duprat, R$ 20 milhões estariam de bom tamanho pelo passe de Damião.

Bem, mas agora Oswaldo de Oliveira se vê obrigado a escalar o contratado e esperar que o rapaz comece a jogar bola, ou ao menos a fazer gols.  Afinal, o descabido investimento só valerá a pena se Damião conseguir uma vaga para a Copa e o preço de seu passe subir assustadoramente.

Mas Fred e Jô são os nomes de Felipão para a Copa. Damião só será chamado se, de uma hora para outra, começar a jogar o que nunca jogou. O mais provável é que continue nesse mesmo passo, o que consagrará mais um negócio altamente deficitário dessa diretoria santista. Juro que torço para queimar a língua, mas Damião tem tudo para se tornar o mais novo mico da Vila.

Odir Cunha é jornalista multimídia com 38 anos de experiência, dois prêmios Esso e três da APCA. Escritor com 21 livros publicados, 10 deles sobre o Santos, é editor da Editora Magma Cultural, editor de conteúdo do Museu Pelé e dono do blog http://blogdoodir.com.br/ Escreve no Metro Jornal de Santos


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo