Financiando a casa própria pelo sitema Tabela Price

Por Carolina Santos

marcos-silvestreParcela igual, do começo ao fim. Nomeada em homenagem a seu criador, o matemático inglês do século XVIII Richard Price, a TP também é conhecida como sistema de amortização com parcelas fixas, ou parcelas constantes. Pela TP, somando-se a parte da amortização com a parte dos juros de cada prestação, o valor do financiamento será sempre o mesmo todo mês, seja logo depois do empréstimo, seja muitos anos depois. Isso até que é bom, porque dá previsibilidade de pagamento do empréstimo.

A composição vai mudando. O fato de cada parcela pela Tabela Price ter valor igual às demais não quer dizer que a composição das duas partes (juros e amortização) seja a mesma a cada parcela, pelo contrário. Na TP a amortização começa bem baixinha: a maior parte da parcela, no princípio, é formada de juros. Com o passar do tempo, a cada nova parcela, a parte da amortização vai crescendo, enquanto a parte dos juros vai diminuindo, uma contra a outra, tudo sem alterar o valor final de cada parcela.

Exemplo. Imaginemos um imóvel de R$ 350 mil, dos quais R$ 280 mil financiados em 360 meses pela Tabela Price, com juros anuais de 10,5% (mensais de 0,84%). Na primeira prestação de R$ 2.462,62, a amortização começa bem baixa (R$ 123,18 ou apenas 5% dessa primeira parcela), sendo a maior parte do pagamento do primeiro mês destinada aos juros (R$ 2.339,44 ou 95% da parcela). A partir daí, progressivamente, a parte da amortização irá crescer, enquanto a parte referente aos juros irá diminuir.

Devagarinho… Apenas na parcela de número 278 (do total de 360 parcelas de R$ 2.462,62), após transcorridos mais de 3⁄4 do prazo total do financiamento, é que a parte referente à amortização (50,13%) começa a superar a parte correspondente aos juros (49,87%). Na última parcela (#360), finalmente paga-se quase só amortização (99,17% da parcela), já que os juros serão ínfimos (0,83%).

Desvantangens. Os juros sempre incidem sobre o saldo ainda não amortizado. Pela Tabela Price, demora-se para amortizar o principal da dívida, o que implica o pagamento de um valor maior de juros no cômputo geral do financiamento. A TP também desfavorecerá quem quiser quitar prestações antecipadamente. Na antecipação, serão eliminadas primeiramente as prestações do final do contrato: na TP, estas são direcionadas basicamente à amortização, ou seja, há pouco de juros para descontar.

Economista com MBA em Finanças (USP), orientador de famílias e educador em empresas, é colunista da BANDNEWS FM e fundador da SOBREDinheiro. Diretor do site www.oplanodavirada.com.br, da EKNOWMIX Consultores Integrados e da TECHIS SA.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo