Você

Por Carolina Santos

colunista  jose-luiz-datenaEssa semana que passou, especificamente, foi terrível para mim. Tipo esses dias que você tem vontade de dar um chute em tudo e correr para um lugar que literalmente ninguém encha sua paciência. Mas aí lembrei dos dias que passei à beira da morte no hospital e tive uma segunda chance, da mesma maneira que centenas de pessoas que leem essa coluna, enfrentando problemas de saúde, no trabalho e na família, esperando por dias melhores.
E aí pensei: não é justo achar que só você tenha problemas no mundo, é claro que o seu problema (exatamente por ser seu) é de fato o maior deles. Por isso mesmo temos que acreditar que existe uma força maior, que rege as leis do Universo, para levar nosso barquinho de papel pelas águas de um rio lamacento e revolto até o mar tranquilo, azul, límpido e cristalino.
Tipo isso: não é possível que depois da meia-noite escureça mais, ou o mais famoso “pior do que está não pode ficar”, e lembre-se que você, com seus problemas ou suas vitórias, é de fato o centro do Universo. E que por isso, mesmo numa fase difícil, ainda pode ajudar quem precise.
Ajudar sempre é bom e, no fundo, ajudando alguém você esquece um pouco de si. Quer dizer, mesmo sem solução, o seu problemão fica menor. A coisa mais difícil do mundo não é a paz mundial, e sim a paz interior, mesmo porque, se todos alcançarem as suas, o entendimento entre os homens fica profundamente mais fácil.
Esteja sempre pronto para estender a mão ou receber uma mão estendida. Eu, por exemplo, confio muito em Deus. Se você não confia, pelo menos acredite em você mesmo, já é algo muito importante.
Conversando um dia com meu amigo Paulo Coelho, um dos escritores que mais vendem livros no mundo inteiro, recebi dele um conselho: o de jamais desmerecer aquilo que você está fazendo. A sua obra, por menos importante que pareça, é a maior de todas, porque é sua. Quanto a quem não acredita em você, quem diminui o seu trabalho, a quem te critica sem ter razão… esqueça. Ponha na prateleira do destino e de vez em quando tire o pó da inveja só para lembrar que vale a pena seguir em frente.
Acredite mais, que o caminho será mais fácil. Aliás, às vezes o caminho é muito mais importante do que o lugar para onde ele vai. Falando nisso, quem gostou desse texto aproveite e o use e, quem não gostou, sinceramente, que se exploda ou coisa do gênero.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo