Fundação Cela

Por Caio Cuccino Teixeira

jose-luiz-datenaJá era de se esperar. Não posso dizer que fiquei decepcionado com a decisão dos 11 senadores que votaram contra à redução da maioridade penal, afinal há muito tempo já deixei de acreditar em boa parte dessa classe política que faz muito pouco pelo povo. Para se ter uma ideia, há pelo menos quase dois mil projetos para melhorar a segurança pública lá em Brasília. Todos eles criando mofo, enquanto, cada vez mais, as pessoas morrem caçadas por criminosos de todas as idades.

Esperar que político mude alguma coisa, é melhor ficar sentado, porque a maioria deles anda de carro blindado, longe das armas desses marginais ou pelo menos tem um outro tipo de defesa que você com certeza não tem.

Bastaria pelo menos aplicar a lei antiga que aí está, só lembrar o terrível caso protagonizado por um bandido assassino (na época travestido de menor). Um casal de jovens, Felipe e Liana, partiram para uma excursão no meio da mata, aqui em São Paulo. Foi a última.

O famigerado “Champinha” executou Felipe no momento em que encontrou os dois, de maneira cruel e fria. Depois disso usou Liana durante uma semana como objeto sexual, forçando-a aos atos mais terríveis que você possa imaginar, para depois matá-la com extrema maldade, o que para a garota deve ter sido um ato de libertação para não sofrer ainda mais nas mãos desse canalha.

Seu pai, o Ary, que até virou político, começou uma grande campanha, não só pela redução da maioridade penal, mas pela dignidade humana dos direitos das vítimas. Deu resultado: Champinha deveria ser libertado como uma grande maioria desses assassinos mirins quando atingiram a maioridade. Por pressão da sociedade, Champinha passou por exames criminológicos, cujos resultados ficaram claros que um monstro como ele não estava preparado para conviver em com outros indivíduos.

Está preso até hoje! É o que eu digo: ao invés de implorar aos ouvidos surdos desse Legislativo que pensa primeiro nele, pelo menos que se aplique uma lei que aí está, que velha ou não, ultrapassada ou não, tem o poder de ser usada e impedir que verdadeiras bestas-feras andem livremente por aí, depois de matar, violentar e arrancar vidas e almas de gente do bem que só quer ter segurança para sua família.

Seria uma espécie de “Lei Champinha”, que já existe, basta ser usada, senão os casos de justiça com as próprias mãos (com os quais não concordo) continuarão crescendo no meio de uma população que, assustada e coagida pelo medo, mata para não morrer. Além disso, as leis brandas devolvem todo dia uma horda de assassinos que tem sempre uma segunda, terceira e assim por diante chances de matar novamente.

Para assassino independente de idade, não tem outro caminho: Fundação Cela. Cadeia neles!


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo