Ano novo

Por Carolina Santos

jose-luiz-datenaAcho que você está em dúvida sobre o que fazer para ceia de ano novo.

É, eu também. Bicho que cisca, nem pensar! Peru, galinha, fiscal do ISS…

Pois então quem sabe um belo bacalhau para lembrar os nossos irmãos, descobridores, amigos ou simplesmente o amigo português com quem trabalhei na Record e na Band e nunca cumpri a promessa de tomar uma ‘cerva’ bem gelada na padaria dele. Se fosse, com certeza o assunto seria a Portuguesa, a Lusa do Canindé.

Quantas vezes na beira do gramado, ainda como repórter esportivo de rádio, vi jogar Éneas, Evair, Badeco e, claro, já na TV, o Dener, que foi o cara que mais chegou perto do Pelé como agora é o Neymar (na minha opinião, é claro!).

E aí assaram o bacalhau da Portuguesa no forno do país do golpe. Pô, de novo, não! Adoro o Gerson, mas esta história de levar vantagem em tudo já deu para o Fluminense, campeão em tapetão.

Olha que cheguei a ser fã do Flu de Rivelino, Paulo César Caju, Lula. Era na bola, sem essa de tribunal. Sacanearam a Lusa usando a lei que só funciona contra pobres ou menos favorecidos. Os poderosos estão acima dela e gastam os tubos que geralmente roubam para pagar ótimos advogados e ficar fora das garras da Justiça – que de cega não tem nada.

Roubaram a Portuguesa usando a lei. Assim é no futebol, nossa maior expressão cultural e folclórica, assim é na vida real, como dizia minha avó: Quem pode, pode!

Feliz Ano Novo com muita paz e alegria para você que é honesto e trabalhador. E para este bando de malandros, um péssimo ano.

Ah! E um belo bacalhau é uma ótima dica. Se tiver dúvida, liga para o meu amigo Otávio…

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo