Dunga não mudou

Por Carolina Santos

jose-carlos-araujo-colunista-garotinhoVocês são testemunhas que eu registrei aqui que estava vendo um Dunga com uma nova postura. Isso, logo que ele reassumiu a Seleção Brasileira. Com pouco tempo de trabalho, nesta sua volta, e eis que o Dunga volta a ser aquele cara mau humorado. Mudaram apenas as personagens. Na Copa da África do Sul, foi mal educado com o Alex Escobar e, agora, mentiu para o Tino Marcos.

Ao coçar o nariz, se dirigindo para os argentinos, sábado passado, em Pequim, claro que estava provocando os caras, chamando-os de cheiradores. Aquela de alegar a falta de ar, devido à poluição, mostra bem que ele mandou mal. Se fosse jogador, talvez merecesse uma advertência do “professor”.

Se condeno o seu comportamento, sou obrigado a reconhecer que a Seleção já tem uma cara. E bem diferente daquele time do Felipão. Temos esquema, padrão de jogo e, principalmente, liberdade para criar as jogadas de velocidade.

 

Como na Copa, ainda estamos na dependência do Neymar. É ele realmente quem faz a diferença. Não há mais o que provar. Tem talento de sobra para ser aplaudido pelo mundo do futebol. Além dos quatro gols marcados, tem se mostrado mais solto, mais leve. E, cá pra nós, a companhia do Tardelli valoriza o futebol do nosso craque maior. Mais movimentação, mais criatividade e com objetividade.

 

É um desrespeito ao futebol jogar num gramado como aquele de ontem, em Cingapura. A bola estava sempre viva. Só suplantamos tudo devido à fragilidade da Seleção do Japão. A CBF faz vista grossa, principalmente porque os direitos dos amistosos já estão vendidos há muito tempo.

 

Alguns destaques da entrevista que o Romário nos deu na TV, segunda-feira. Não garantiu permanecer no PSB e admitiu vir a ser candidato a prefeito, embora, em princípio, pense em cumprir os 8 anos de mandato no Senado.

Diante do que está vendo na CBF, diz que começa a sentir saudade do Ricardo Teixeira, de quem era o maior crítico.

 

Galera vai invadir o Maraca, logo mais, animada com uma possível passagem às semifinais da Copa do Brasil. O Flamengo enfrenta o América- RN jogando pelo empate. Incrível como a torcida do Fla faz a diferença, mesmo sem ter um ídolo no gramado.

 

José Carlos Araújo escreve às quartas-feiras. É também locutor da Transamérica FM.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo