Todas as tribos

Por Carolina Santos

joao-fariaPoucas empresas reúnem profissionais de diferentes áreas, com formação nos mais variados cursos e atribuições tão distintas, como uma agência de publicidade. Como fazer a gestão desses profissionais e tirar o que cada um tem de melhor? Saiba mais nessa entrevista com Pablo de Arteaga, sócio e VP de operações e atendimento da agência Leo Burnett Tailor Made.

 

Quais os desafios na gestão de profissionais
com perfis tão diferentes?

Um enorme desafio é ter sensibilidade para entender como cada um desses perfis entende sua carreira, suas motivações, sua velocidade de evolução profissional, sua ambição e fatores motivadores. Isso toma tempo, exige comprometimento real em escutar e aconselhar. Exige um tratamento sob medida.

Outro desafio é fazer com que todos esses profissionais se sintam à vontade no ambiente corporativo. Eles fizeram uma escolha ao entrar nesse mundo, para bem e para mal, como em qualquer outro ramo de atividade. É uma troca, eles precisam das empresas para dar vazão e materializar suas habilidades, ideias e sonhos, mas muitos têm (e terão), por toda a carreira, uma persistente dúvida quanto a estar ou não neste ambiente corporativo. A coincidência curiosa é que esses mais contestadores, também tendem a ser os melhores, os mais potencialmente destrutivos e fazer as perguntas mais difíceis. É uma relação assim, no limite.

 

E a tarefa de motivar os grupos?

Estou convencido que antes da motivação financeira, bem antes, vem a motivação pela qualidade dos desafios que são dados aos grupos. As pessoas, sobretudo da geração Y, são movidas pelo estimulo em trabalhar com pessoas interessantes, por serem reconhecidas pelas suas ideias. Os jovens não exatamente querem ser liderados da maneira clássica e não se impressionam muito com a hierarquia, eles tem que admirar e se inspirar, seja nos líderes da agência ou em seus colegas. Por outro lado, existe um enorme desapego e visão de curto-prazo.

O desafio dos lideres é orientá-los para que construam uma carreira consistente. É difícil, sobretudo para os mais jovens, entender que as coisas são construídas com tempo.

 

Como tirar o melhor de cada profissional?

Fazendo de tudo para que ele se sinta espontâneo sempre, mesmo neste ambiente elétrico e competitivo. A melhor versão de cada um de nós aparece, nas relações pessoais e profissionais, quando podemos ser autênticos e espontâneos. Isso vale ainda mais em um ambiente de geração de ideias, de sonhos, de historias, como uma agência de publicidade.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo