Publicidade no celular

Por Carolina Santos

joao-fariaO Brasil possui mais 260 milhões de celulares ativos, prova de que esse é um canal importante de interação entre as marcas e os consumidores. E o mobile marketing, como é chamado, oferece um relacionamento customizado com cada cliente. Andrés Stella, gerente geral da Brandtone no Brasil, revela como a publicidade está presente no celular.

 

Receber um SMS com mensagens publicitárias não desagrada?

 

A Brandtone não trabalha com spam, esse transtorno que acontece devido a mensagens enviadas sem autorização para o celular do consumidor. Nossas campanhas sempre são iniciadas pelo cliente, a partir do primeiro contato que ele faz enviando um SMS gratuito com um código impresso em embalagens promocionais. Sempre estabelecemos uma troca de valor entre a marca e o consumidor para que ele se sinta motivado a participar. Como resultado, nossa taxa média de autorização dos consumidores para continuar participando de campanhas futuras é de 90%.

 

As grandes companhias utilizam este
recurso com qual objetivo?

O principal deles é gerar interação entre marcas e consumidores. Hoje as mídias tradicionais já não são tão eficientes e suficientes para as marcas se relacionarem com seus consumidores. O mobile marketing tem se mostrado como uma solução que possibilita altíssima cobertura e engajamento para as campanhas.

 

Quais os setores que mais investem nessa estratégia?

Aqui no Brasil são os bancos e companhias de grande consumo, como marcas de refrigerantes, cervejas, alimentos e outras. Entre as empresas que atendemos e adotam ações de mobile marketing estão a Unilever, PepsiCo, Mondelez/Kraft Foods, SAB-Miller, Kellogg’s e British Petroleum.

 

Ser uma agência irlandesa traz algum diferencial?

A Irlanda é um excelente polo de tecnologia e telecomunicação. A Brandtone é um exemplo disto. O motivo pelo qual estamos no Brasil e em outros países emergentes é que nossos clientes compreendem o grande potencial de crescimento desses mercados e que o mobile marketing é uma das melhores maneiras de engajamento direto com quase toda a base de consumidores desses países. Além do Brasil, estamos na África do Sul, Turquia, Rússia, Índia, China e, estamos iniciando operações na Malásia, Indonésia e Estados Unidos, este último focado nas comunidades latinas.

João Faria é jornalista e sócio-diretor da Agência Cidadã

Loading...
Revisa el siguiente artículo