Em Minas, futebol e política não se misturaram

Por fabiosaraiva

jader-kalid colunistaO futebol, a maior paixão nacional, não gerou votos nas eleições deste ano, pelo menos não em Minas Gerais. Aclamados nomes do esporte concorreram a lugares na Assembleia Legislativa, mas não conseguiram ser eleitos. A primeira surpresa foi o nome de Gilvan Pinho Tavares, atual presidente do Cruzeiro (melhor time do campeonato), que se candidatou a deputado estadual pelo PV, porém não conseguiu um lugar entre os eleitos. Do lado alvinegro das eleições estava um dos maiores ídolos do Atlético, o ex-jogador Marques, que também não garantiu a reeleição como deputado estadual pelo PTB. Por outro lado, o inverso aconteceu: Alexandre Kalil, que segundo estimativa do meio político seria o mais votado do estado, renunciou à candidatura. A eleição para deputado federal estava certa, já que o presidente é aclamado pela chamada Massa, que, segundo o último levantamento do Lance-Ibope, totalizava mais de 6,5 milhões de torcedores do Galo. Kalil, assim como os eleitores mineiros, não quis saber de misturar política com futebol nas eleições de 2014. O abandono à candidatura foi tema de capa para a revista Exclusive deste mês, de título Ele jogou mais de 500 mil votos no lixo. Vale a pena conferir!

 

Evento da imprensa no Mercado Central

Destaque na Copa do Mundo, o Mercado Central nunca recebeu tantos visitantes sem nenhum incidente. O excelente desempenho é fruto
da boa administração de uma das principais atrações turísticas de Belo Horizonte, que este ano completa 85 anos. No último dia 10, o Mercado Central sediou mais uma edição do Encontro Anual da Imprensa.

Jader Kalid é sócio-diretor da revista Exclusive e escreve no Metro Jornal de Belo Horizonte

coluna

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo