Terremoto para todos os lados

Por fabiosaraiva

colunista helio-castronevesPois é, nesta terça-feira já estou mais do que pronto para a etapa final da IndyCar, que acontece neste sábado a noite no oval de Fontana. Será uma prova de 500 milhas e com pontuação dobrada. Vou ser honesto com vocês, depois de tudo o que aconteceu em Sonoma as chances de ser campeão ficaram um pouco mais difíceis. Não, não me entendam mal, não estou desistindo. Muito pelo contrário, estou super motivado e vou com tudo para a última corrida. O fato de estar com 51 pontos atrás do meu companheiro de equipe, o Will Power, não quer dizer muita coisa porque teremos em jogo 104 pontos na disputa de sábado e eu vou com TUDO! Mas o que não faltou aqui foi terremoto!

Primeiro, foi um de verdade. Agora, tentem me acompanhar (como dizia o Goulart de Andrade, lá há muito tempo, Vem Comigo!). Você vai deitar não muito tarde porque no outro dia tem corrida. Esse repouso é fundamental e eu tenho a minha rotina. Aí, lá pelas 3h30 da madrugada, você acorda sem saber o que está acontecendo. Numa fração de segundo não sabe se está tendo um pesadelo ou algo do gênero. Aí, no instante seguinte se dá conta de que está vivendo as “emoções” de um terremoto de verdade. Gente, vou falar uma coisa, acho que nunca levei um susto tão grande na vida.

O outro “terremoto” veio na corrida. Na classificação a coisa já não foi legal, pois queria a pole e fiz o 6º tempo. Larguei com todo o cuidado, tanto que vocês viram nas imagens que eu fiquei ali no meu cantinho, sem fazer manobras bruscas. Só que o Sebastien Bourdais, sei lá o que aconteceu com ele, tocou na minha roda traseira esquerda. Isso virou um engavetamento, pois fui para cima do James Hinchcliffe, levei uma batida por trás não lembro de quem e, resumindo, meus objetivos de vitória ficaram ali na largada. Tive de parar nos boxes para trocar o bico, depois voltei para cortar um pedaço da carenagem traseira direita, que estava pegando no pneu, mudamos a estratégia, etc. Enfim, fiz o que pude.

Agora somos quatro apenas na disputa do título. Comigo e com o Will estão também o Simon Pagenaud e o Ryan Hunter-Reay. Advinhem em quem o Castroneves aqui está apostando para ser campeão? É por isso que vou para cima. Vocês sabem que eu costumo me dar bem em corridas de 500 milhas, né? Então, todo mundo ligado nesse sábado nos canais da Rede Bandeirantes de Televisão. A largada está marcada, no horário oficial de Brasília, para as 22h. Super abraço!

Helio Castroneves, 39, nasceu em São Paulo e foi criado em Ribeirão Preto. É o piloto brasileiro com mais vitórias na Indy, com 28conquistas, e venceu três edições da Indy 500 (2001, 2002 e 2009). Disputará em 2014 sua 17ª temporada na categoria e 15ª pelo Team Penske.  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo