Temer: ‘aos poucos, conspiração vem vindo à luz’

O presidente Michel Temer afirmou a esta coluna que “pouco a pouco, a conspiração vem vindo à luz”, ao se referir à súbita mudança de opinião do advogado Flávio Pansieri, que, em mensagem de áudio a um grupo de colegas do Conselho Federal da OAB, isentou-o das acusações da Procuradoria Geral e desqualificou minuciosamente a gravação “manipulada” de Joesley. No dia seguinte, designado relator do caso pelo presidente da OAB, Claudio Lamacchia, mudou de ideia.

Prova imprestável

“Essa prova ilícita não podemos usar”, diz Pansieri, lembrando que no caso da Dilma a OAB descartou a interceptação telefônica com Lula.

‘Decisão prematura’

Ao enviar seu áudio, o conselheiro relator da OAB avaliava “prematura e temerária uma decisão amanhã (20 de maio).” Mas mudou de ideia.

‘Grande armação’

A mensagem de áudio de Flávio Pansieri deu força à certeza do governo de que o presidente Temer foi vítima de “grande armação”.

Delação sem recheio

Lula PEDRO LADEIRA/FOLHAPRESS

Flávio Pansieri afirma em sua mensagem que o ministério público “precisava de alguma coisa para rechear a delação” de Joesley Batista.

‘Estratégia de Combate à Corrupção’ fracassou

Completa 15 anos a Estratégia de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla), criada em 2003 curiosamente durante o governo que é considerado um dos mais corruptos da história, chefiado pelo ex-metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva. Criado no âmbito do Ministério da Justiça e composta por 79 órgãos dos Três Poderes e da sociedade civil, propôs leis e até inventou um “índice” para medir a corrupção.

Controle perfeito?

Entre “resultados” da Enccla, a Justiça lista o “aperfeiçoamento do cadastro de entrada e saída de pessoas do território nacional”. Humm…

Criou e nada

Também é atribuído à Enccla a criação do cadastro de empresas inidôneas e suspensas… onde não estão as empreiteiras da Lava Jato.

Departamento de TI

O Ministério da Justiça dá à Enccla o crédito pela informatização das declarações de porte e valores quando do ingresso e saída do país.

Nada fatura tanto

A receita de R$178,4 bilhões dos planos de saúde em 2016 é superior aos PIBs de Luxemburgo, Paraguai e Afeganistão, só para mostrar como o setor tem faturado às custas da exploração dos brasileiros.

Sinuca de bico

Darcísio Perondi GUSTAVO LIMA/AGÊNCIA CÂMARA

O deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) acha que o PSDB “está numa sinuca de bico” ao subir no muro para dizer que saiu do governo Temer, mas sem virar oposição. Se a reforma da Previdência não sair, e houver fuga de investidores e a volta da crise, “nós vamos cobrar”.

Advogadas se unem

Instala-se nesta segunda em Brasília a Abra (Associação Brasileira de Advogadas), presidida por Meire Lúcia Gomes Monteiro Mota Coelho. O evento terá o prestígio das presidentes do STF e do STJ, Cármen Lúcia e Laurita Vaz, ministros e Grace Mendonça, chefe da AGU.

Ativismo em pauta

O Superior Tribunal de Justiça realiza nesta segunda (4) o seminário “Independência e Ativismo Judicial: Desafios Atuais”. O ativismo tem sido considerado uma dos maiores problemas da Justiça brasileira.

O Brasil lá

O governo brasileiro participa em Genebra, Suíça, até quinta-feira, de dois importantes eventos: a 62ª sessão do Comitê contra a Tortura e a 94ª sessão do Comitê para a eliminação da Discriminação Racial.

Santander reduz velocidade

O banco espanhol Santander anunciou dia 29 que deixa de patrocinar a Fórmula 1 após 11 anos. A escuderia Ferrari, que substituiu os cigarros Marlboro pelo Santander há 8 anos, também perderá a bolada.

Economia e crédito

As projeções de mercado no Brasil “sugerem expansão da economia próxima a 2,5% em 2018”, prevê o resultado mensal da corretora Bradesco. O crédito total deve crescer alinhado ao PIB (6,5% a mais).

Negócios Brasil-França

Na segunda (4), a Fiesp realiza o Fórum de Negócios Brasil-França para discutir financiamentos de longo prazo no Brasil, agroindústria, startups e inovação. Embaixador da França, Michel Mirrailet participará.

Pensando bem…

…não fazer a reforma da Previdência deve ser o assunto da semana.

Poder sem Pudor

Fobia de Quércia

Fobia de Quércia

Mário Covas, Fernando Henrique Cardoso e Franco Montoro articulavam a criação do PSDB, durante a Constituinte de 1988, e se reuniram com a turma de Ulysses Guimarães. O ministro Renato Archer pediu a palavra:

– Estive há algum tempo em São Paulo e lá encontrei Montoro como governador, Mário Covas prefeito e Fernando Henrique presidindo o PMDB no Estado. Do jeito que vocês são vulneráveis, cuidado com o Quércia: se ele entrar nesse novo partido, toma conta.

A advertência foi levada ao pé da letra: jamais os tucanos quiseram papo com Orestes Quércia, que por muitos anos comandou o PMDB paulista.

Rosana Chiavassa