O que pode (ou não) na reabertura das escolas

Por Ivana Moreira

As discussões sobre a volta das aulas presenciais estão na pauta do dia. Com muitos estados e municípios definindo datas para a reabertura das escolas, muitos pais têm levantado questionamentos sobre como o ensino vai funcionar nos próximos meses e o que é (ou não) permitido fazer. Confira as explicações dos especialistas para as principais dúvidas:

Quando as escolas forem reabertas, todos os alunos terão de ir? 

A educação é obrigatória dos 4 aos 17 anos segundo a Constituição. Mas o sistema de ensino não vai ofertar o retorno às aulas para todos os alunos ao mesmo tempo.  Assim, existe a possibilidade de opção das famílias pela continuidade das atividades não-presenciais.

Posso ser penalizado se não levar meu filho à escola agora? 

É dever da família assegurar a educação formal dos filhos a partir dos 4 anos. Mas a opção, em função da pandemia, pode ser pelo ensino remoto. Desde que o aluno permaneça matriculado e exista algum tipo de controle da frequência e participação nas atividades.

Como as crianças serão avaliadas?

A recomendação é para que não haja uma cobrança excessiva. Deve haver primeiro uma avaliação formativa, para entender o que o aluno aprendeu durante a quarentena e, a partir daí, haverá avaliação diagnóstica mais geral para saber quais as lacunas ficaram. 

De quem será a responsabilidade se a criança pegar covid na escola?

Se a escola se mostra apta para receber os alunos, ela é responsável, a partir daí, pela integridade dos alunos no exercício de suas atividades. Deve ser portanto responsabilizada caso algo ocorra com algum estudante. Porém, no caso do coranavírus, cujas formas de contração da doença possuem muitas variáveis, haverá o desafio de provar que a contaminação ocorreu na escola.

Loading...
Revisa el siguiente artículo