Casamento em risco? Cuide das relações pessoais

Por Angélica Banhara

O confinamento por conta da pandemia fez disparar a procura por informações sobre divórcio na internet. A convivência no isolamento forçado e sem prazo para acabar pode a gerar estresse, irritação, exaustão e esgotamento emocional, seja por medo de contrair o vírus, de perder o emprego, tensão por lidar com as pressões do trabalho home office ou irritação com as crianças em casa.

Segundo Flora Victoria, mestre e Psicologia Positiva aplicada pela Universidade da Pensilvânia (EUA) e Embaixadora da Felicidade no Brasil pela World Happiness Summit, normalmente não percebemos, mas a nossa própria interpretação sobre os fatos produz resultados bons ou ruins em momentos desafiadores. “Muitas vezes potencializamos algo negativo em vez de enxergarmos o lado bom de determinada situação”, diz.

Para Flora, neste momento é importante mudar o foco, procurando enxergar o lado positivo de cada momento, como estar mais tempo em casa. “É comum o ser humano valorizar o que não tem, como a privacidade nessa fase. Antes, reclamávamos da falta de tempo para os filhos e para a família. Então, podemos ver esse período da pandemia como uma oportunidade de acompanhar mais de perto o desenvolvimento dos filhos, por exemplo.”

Outro detalhe importante ressaltado por Flora é o fato de o equilíbrio no casamento ser o ponto de equilíbrio também para todas as demais áreas, como a educação dos filhos, o melhor direcionamento das finanças e a sensação de bem-estar no aconchego do lar.

A especialista sugere buscar pontos em comum com o parceiro. Com atividades que estreitem esse laço, o casal aprende a desenvolver serenidade em momentos de tensão. "Cozinhar juntos, fazer um pequeno reparo na casa ou mesmo assistir a uma série de TV ajuda a desenvolver habilidades de comunicação que não se limitam à resolução de problemas do dia a dia.”

4 passos para o equilíbrio

Com base na Psicologia Positiva, Flora Victoria compartilha outras dicas importantes para casais que buscam manter a relação saudável em época de confinamento.

  1. Aprenda a lidar com o tédio. Se engajar em atividades que o casal faz bem junto e passar mais tempo offline é uma forma lidar melhor com o confinamento. Para a Psicologia Positiva, o ato de se engajar em algo com afinco faz você viver o presente com intensidade e prazer.
  2. Busque motivação dentro de você. Durante o confinamento as pessoas são chamadas a olhar de frente para o que as afeta e a responder duas perguntas: qual afeto ou admiração pelo outro nos fez construir uma vida juntos? Qual objetivo temos na construção dessa vida que nos mantêm unidos hoje? Use as respostas para não deixar que eventos externos, como as informações do noticiário, abalem suas metas.
  3. Use a inteligência emocional. O confinamento testa nossa capacidade de resolução de conflitos. Em situações instáveis e com alto grau de estresse não é momento de resolver questões sérias como finanças ou a mudança de direcionamento na educação dos filhos. Deixe para tomar esse tipo de decisão em um momento mais calmo.
  4. Trabalhe a resiliência. O que a pandemia, a crise financeira ou mesmo a necessidade de controlar o estresse pode ensinar ao casal? Toda a crise oferece uma oportunidade de crescimento e aprimoramento de nossas forças mentais, como a sabedoria. A capacidade de passarmos pelos desafios e sairmos mais fortalecidos deles — a resiliência — leva à longevidade no casamento e à felicidade.
    "A felicidade não é determinada pelas circunstâncias e, sim, construída pelo nosso desejo de estar bem e de trabalharmos dia a dia nosso aprimoramento interno, nosso otimismo e capacidade de engajamento em superarmos algo”, conclui Flora.

Siga nas redes sociais:
Facebook  |  Instagram

Colunas anteriores:
#OPerigoNãoPassou: proteja-se com o fim do isolamento
6 atitudes para otimizar o bem-estar na pandemia

Loading...
Revisa el siguiente artículo