Aprenda a driblar o estresse em casa e de volta à rotina

Por Angélica Banhara

A flexibilização da quarentena está deixando muita gente estressada. A necessidade de retomar a rotina de trabalho fora de casa com a pandemia em curso e sem vacina contra o coronavírus gera medo e insegurança.

“Nesse momento de retorno temos que buscar mecanismos para manter o nosso estresse em baixa”, afirma Carolina Senna, especialista em Saúde Integrativa do @personareoficial, portal de autoconhecimento e bem-viver. “De um modo geral, as pessoas já estavam muito estressadas mesmo antes da pandemia. O coronavírus foi um gatilho para o nosso sistema nervoso atingir um pico de estresse”, completa.

Carolina explica que o nosso sistema nervoso é dividido em duas partes: a que administra a calma (sistema nervoso parassimpático) e a responsável pelo estresse (sistema nervoso simpático). São sintomas do estresse: taquicardia, perda de sono, perda de libido, problemas grastrointestinais, pressão arterial elevada, variações de humor e perda de memória.

A seguir, Carolina dá algumas dicas práticas para deixar o nosso sistema nervoso do estresse pouco ativado, abrindo espaço para o sistema nervoso da calma atuar.

1) Antes de voltar para a vida “normal”, planeje o retorno. Decida  o que pretende fazer para se proteger fora de casa: na rua, no escritório, no transporte. E pense também no que não vai fazer, o que vai aceitar e o que não vai aceitar. Faça isso em casa, enquanto está calmo.

2) Restrinja o consumo de notícias para o básico necessário (uma vez por dia, por exemplo).
O excesso de informações aumenta a sensação de medo.

3) Se perceber se está sofrendo de estresse pós-traumático — nível de estresse excessivo, acrescido de crises de pânico e de ansiedade, procure auxilio terapêutico antes de voltar à rotina.

4) Faça exercícios respiratórios ao longo do dia.
Ao acordar, antes de dormir e diante de situações que tenham gerado incômodo ou frustração.

  1. Coloque uma mão no peito e a outra no umbigo.
  2. Inspire profundamente, sentindo o abdômen expandir e, em seguida, a caixa torácica, e o alto do peito.
  3. Solte o ar bem devagar.
  4. Repita cinco vezes.

5) Use aromaterapia.
Os óleos essenciais exalam aromas que estimulam o sistema límbico do cérebro (responsável pelas emoções) atuando de modo natural para o equilíbrio e bem-estar físico e mental. O óleo essencial de lavanda tem propriedades calmantes e relaxantes. Você pode usar em difusor de ambiente ou no formato roll-on, nos punhos.

6) Estabeleça uma rotina de sono, com hora para acordar e para dormir. Pouco sono ou sono de má qualidade impedem a restauração do sistema nervoso e diminuem os recursos emocionais para enfrentar os desafios do dia a dia. “O sono é uma ferramenta democrática, gratuita, disponível para todos e fundamental para manter o sistema nervoso equilibrado."

7) Pratique meditação ou Mindfulness (exercício da atenção plena) diariamente. "Essas práticas estimulam as zonas do cérebro relacionadas à calma, concentração, discernimento e atenção — ferramentas úteis não só durante as crises, mas a qualquer momento." Comece com 5 minutos por dia de meditação guiada (há vários aplicativos gratuitos). A meditação e as práticas contemplativas estimulam o desenvolvimento do cérebro (em especial o córtex pré-frontal, que responde pelo nosso comportamento social, planejamento e tomadas de decisão). Carolina Senna conduz meditações gratuitas às quartas e sextas-feiras, às 8h30, no perfil @carolasenna no Instagram.


Siga nas redes sociais:
Facebook  |  Instagram

Colunas anteriores:
Os alimentos campeões para a saúde e a imunidade
Dicas para controlar a ansiedade e a compulsão alimentar

Loading...
Revisa el siguiente artículo