Dark chega ao fim gabaritando suas respostas

Por Omelete

Ao longo de duas temporadas, a série Dark desafiou velhos conceitos da ficção científica, propôs discussões filosóficas, investiu no suspense e ainda achou tempo para trabalhar histórias de amor – e como elas podem criar heróis e monstros. Foi com a missão de dar um final que honre esse legado que a terceira e última temporada estreou na Netflix.

Mais do que amarrar pontas soltas de continuidade e encerrar a história, o último ano apostou as suas fichas em ampliar tudo o que havia feito até então. A principal expansão está na forma como a série aborda o mundo alternativo. A outra Widen foi incorporada à narrativa principal, que agora alterna não apenas diferentes épocas, mas também diferentes Terras. Além de servir à trama, mostrando que um universo fatalmente interfere no outro, essa escolha valoriza toda a equipe da produção. Cenários, figurinos e até mesmo penteados se destacam e ajudam a contar a história, para que o espectador não se perca (mais).

Ainda que essa variação de tempos e espaços expanda a trama e apresente novas possibilidades, o rumo do último ano é definido por algumas decisões questionáveis.  A discussão sobre quanto os ciclos são perpétuos e (quase) impossíveis de se quebrar, a série dedica boa parte de seu ano final para criar uma atmosfera desanimadora que soa redundante. Se as temporadas anteriores estabeleceram discussões como essa, enquanto levavam a trama para algum lugar, o final de Dark se ocupa mais de preencher as lacunas.

Ainda que tenha seus problemas, Dark chega ao fim entregando uma conclusão que honra a maturidade com que a série discutiu seus temas.

FRASE DA SEMANA

“Fiz sete filmes da Marvel em que todos os produtores, diretores e dublês eram brancos”

diz o ator Anthony Mackie, que interpreta o Falcão, sobre a falta de diversidade por trás das câmeras

Sobe

Representatividade: A produção de ‘Os Simpsons’ não vai mais escalar dubladores brancos para personagens de outras etnias

Desce

Comédia: Morreu aos 98 anos o ator e humorista Carl Reiner, de ‘Onze Homens e um Segredo’

Loading...
Revisa el siguiente artículo