O prejuízo acadêmico deveria ser a maior preocupação dos pais agora?

Por Ivana Moreira

As escolas foram os primeiros estabelecimentos a serem fechados por causa da pandemia do novo coronavírus e, muito provavelmente, serão os últimos a serem reabertos. Em São Paulo, o governo estadual já adiantou que as aulas presenciais só devem ser retomadas em julho. É natural que pais e mães estejam preocupados com o possível prejuízo acadêmico para as crianças. “Mas será que essa deveria ser nossa maior preocupação?”, questiona o professor, escritor e consultor em educação financeira Carlos Eduardo Costa. Será que o conhecimento acadêmico é o único relevante para as nossas crianças? Ele acredita que não.

Formação e futuro
Segundo Costa, esse momento é único para que os filhos aprendam outros valores fundamentais para a formação e o futuro. A solidariedade é um deles. “Apoiar nesse momento as pessoas menos favorecidas é algo fundamental e nossos filhos precisam participar disso!” O professor dá o exemplo da própria filha, Maria Eduarda. Um grupo de mães da escola onde a menina estuda criou uma campanha para os comerciantes informais que trabalham na porta do colégio: o baleiro, o pipoqueiro, a moça do cachorro-quente – pessoas que ficarão muitas semanas sem nenhum faturamento. “Fizemos nossa doação e a Maria Eduarda foi a mais empolgada”, lembra. “Acompanhava a cada momento se o valor arrecadado já estava próximo do objetivo.”

Lição prática
A campanha gerou arrecadação suficiente para garantir um pouco de tranquilidade para o grupo de informais. Quando chegaram as mensagens de agradecimento, Maria Eduarda ficou emocionadíssima. Para ela, foi uma lição prática do que é empatia e solidariedade. “Não seria esse um bom conteúdo para as crianças aprenderem durante a pandemia?”, questiona Costa. Eu tenho certeza de que sim. E você?

Loading...
Revisa el siguiente artículo