Carnaval capixaba

Por Viviane Anselmé

Os capixabas decidiram ficar na capital neste Carnaval. Fora isso, muitos turistas descobriram a festa por aqui. Os bloquinhos do centro da cidade ficaram lotados, mas em muitos a música estava muito baixa. No Regional da Nair quase não se ouviu a banda e os foliões reclamaram bastante. Em compensação, o Regional deu um show de arrebentar coração na nova “Casa 7”, também no centro da cidade. O lugar é incrível e já foi considerado o melhor point para um bom samba. O Carnaval de Vitória aqueceu as vendas de estabelecimentos em todo o estado. Segundo um levantamento feito pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, os pontos localizados fora das rotas de blocos carnavalescos devem ter tido aumento de 10% a 20% no faturamento. Resumindo: Valeu, foi bom e até a próxima!

Tem que ver isso aí

Olha, teve gente que passou raiva com o aplicativo V1 durante o Carnaval. O aplicativo é excelente e promove uma segurança maior com motoristas contratados e profissionais, além de carros novos e confortáveis. Mas existe uma falha que deve ser, urgentemente, corrigida. O aplicativo, ao que deu a entender um dos motoristas, não está conectado ao Waze, portanto, não leva em consideração o trânsito, somente a distância. Você pede um motorista, na tela do celular aparece que ele chegará em três minutos, mas ele pode demorar meia hora. Complicado para quem está na rua e acredita na contagem do APP.

Missão

“Mais que doar, nossa missão é receber amor”. É com essa frase que a empresária Penha Arraz descreve a jornada missionária que ela e mais 31 pessoas vão fazer para o Angola, na África. Lá, o grupo de amigos vai doar, além do tempo, remédios, sandálias, alimentos e material escolar para as crianças. O grupo parte dia 02 de março e vai permanecer 13 dias naquele país.

Peça com reflexão

Manoela é uma cadeirante que sofreu um acidente de carro aos 14 anos. Ela é uma das personagens cujo drama é retratado na peça “Porque eu”, de José Celso Cavalieri, que será apresentada domingo, às 19 horas, no Palácio da Cultura Sônia Cabral, em Vitória. A montagem tem como meta levar o público a refletir sobre as situações cotidianas vivenciadas por um grupo de seis personagens, que, por suas condições, são discriminados pela sociedade. Além da cadeirante, também vão dividir suas histórias com a plateia um negro, um mendigo, um usuário de drogas, uma idosa e uma lésbica.

News em Colatina

A Sipolatti reinaugura hoje a loja de Colatina. O espaço foi totalmente reformado e está mais moderno e com marcas exclusivas. A loja conta com mais qualidade, variedade, comodidade e tecnologia.

CURTAS

Novo point da Ilha. Um restaurante de cozinha contemporânea com base na culinária japonesa será o novo point pós-Carnaval de Vitória. O empreendimento é inspirado em grandes casas de São Paulo, como Terrazza e Bagatelle, e vai preencher o intervalo entre o happy hour e a ida para balada. Cayke Lass é o sushiman que estará à frente dos cortes orientais. Ele aprendeu a técnica milenar com o renomado chefe Rafael Portes, que assina o cardápio do Hanaya Japanese Dining. Sob o comando dos sócios Fernando Henrique, Daniel Calmon, Marciano Cruz de Sá, Jean Estevão, Duar Pignaton e Carlos Zamperline, a novidade tem o conceito e a sofisticação de um lounge e será inaugurada no próximo mês em esquina privilegiada da Praia do Canto, entre as ruas Aleixo Netto e João da Cruz.    

Em Vila Velha. A partir de março, Vila Velha recebe um espaço projetado para atender ao público que busca o melhor dos revestimentos. Capitaneada pelo empresário Rafael Gasparoni, a Figurati Revestimentos traz para Vila Velha as marcas nacionais e internacionais e as últimas tendências do setor. O projeto da loja é da designer de interiores, Flávia Dadalto.

Loading...
Revisa el siguiente artículo