Heróis

Por José Luiz Datena

Na sexta-feira passada, um dia comum no meio das férias, a gente esperava um programa tranquilo, sem muita notícia. Não foi! Foi emocionante. Um homem, no seu trabalho diário, caiu numa caixa d’água, de onde foi salvo a 20 metros de altura. Uma operação radical e emocionante envolvendo soldados do Corpo de Bombeiros e grupamento Águia da Polícia Militar. Uma operação arriscada, minuciosa em todos os detalhes, fantástica e uma aula de dedicação e coragem de homens e mulheres, militares e civis (Grau – Grupo de Resgate e Atenção às Urgências e Emergências), operando nas alturas em uma verdadeira missão de solidariedade humana.

Desde a amarração firme da vítima à maca num lugar de risco total, passando à coordenação do Águia que levou aos céus o ferido para depois baixá-lo em segurança ao lado do resgate em uma praça. A imagem do soldado pendurado a quase 30 metros de altura com a igrejinha ao fundo nos dava a nítida noção que Deus quer o ser humano praticando o bem, e não se matando em guerras espalhadas pelo planeta.

São esses heróis empenhados na batalha de fazer o bem todo dia que nos fazem acreditar que ainda temos jeito como espécie e nem tudo está perdido. Em vez do punho fechado da agressão, a mão aberta para o apertar amigo. Em vez de palavras ao vento, o grito de felicidade de atitude desses anjos do céu e da terra que nos protegem todo dia.

O que era para ser um dia comum só foi mesmo para quem está habituado a fazer o bem sem olhar a quem. Para nós, simples mortais, foi um ato de grandeza, de força na mensagem de como é bom amar o próximo. Não dá pra gente ser herói como eles todo dia, mas sorrir para alguém pode ser o bastante para fazer da sua e da vida deste alguém muito melhores. Um abraço pode demonstrar que ele não está sozinho, pode significar esperança, e uma palavra amiga pode ser a salvação para quem só ouve não.

Não dá para ser herói todo dia. Mas dá para ser humano.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo