O caminhar da evolução

Foi a capacidade de andar que nos permitiu chegar onde estamos agora. Por que desprezar essa habilidade tão transformadora?

Por Pro Coletivo

Após milhões de anos, nos vemos nesse momento do século 21, encapsulados em carros parados no trânsito e aspirando gases tóxicos em quantidade. De acordo com uma pesquisa recente do IAG (Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas) da USP, as emissões aumentam muito em velocidades abaixo de 20 quilômetros por hora. “Isso é comum em congestionamentos, onde o movimento de acelerar e frear o veículo se repete com muita frequência, levando a um maior consumo de combustível e, em consequência, a mais emissões”, explica o engenheiro ambiental Sérgio Ibarra Espinosa, que realizou o estudo.

A nossa evolução – de homo habilis a homo sapiens, o humano moderno – foi moldada para que pudéssemos nos manter eretos, com a cabeça erguida e em movimento. Os primeiros bípedes, os homo erectus, tinham vantagens absurdas em relação aos seus ancestrais, os homo habilis. Em pé, podiam avistar os inimigos e tinham os membros superiores liberados para desenvolver ferramentas que garantiam sua sobrevivência.

Hoje, sentados a maior parte do dia e sem força nas pernas, estamos nos esquecendo de que foi a postura ereta que nos alavancou a evolução. Caminhar traz uma série de vantagens para a saúde do corpo e da mente. O filósofo Aristóteles já dizia que andar é imprescindível para pensar. Ao lado da bicicleta, é a mobilidade mais sustentável que existe.

E você ainda pode aproveitar o verão e as férias para pegar gosto por essa atividade, que só traz vantagens. Se precisar de ajuda, saiba que existe uma rede, a Corrida Amiga, que auxilia gratuitamente, em São Paulo, as pessoas a se deslocar a pé na cidade. O interessado se inscreve pelo site (corridamiga.org) e um voluntário poderá acompanhá-lo nos primeiros trajetos, além de compartilhar dicas de como andar e/ou correr, o uso da roupa mais adequada e as melhores rotas para chegar ao seu destino. Não poluente e mais econômico, andar pode ser a forma mais eficiente de se locomover na cidade, e inclusive chegar ao trabalho e à escola diariamente.

A Corrida Amiga nasceu em 2014 com a Silvia Stuchi Cruz, apaixonada e defensora do transporte a pé, e é um alento para quem quer melhorar a mobilidade nas ruas e a saúde das pessoas e das nossas cidades.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo