Confira as 10 tendências fitness para 2020

Por Angélica Banhara

Nove entre dez listas de decisões de ano novo envolvem começar ou pegar firme na atividade física. Se você ainda não encontrou um exercício para chamar de seu, procure experimentar algo diferente. As academias, estúdios e clubes oferecem hoje um leque extenso de atividades, que vão muito além da corrida e da musculação.

Inspire-se na lista das 10 principais tendências fitness para a América do Sul, segundo o American College of Sports Medicine (ACSM), uma das entidades esportivas mais respeitadas do planeta.

É a primeira vez o ACSM publica uma lista latino-americana, com dados do Brasil e Argentina. Ela faz parte de um estudo comparando as 20 principais tendências de fitness na América do Norte, China, Europa e América do Sul. Veja a seguir.
 
1 – Exercícios para a perda de peso: essa tendência está relacionada a programas de perda de peso que incluem dieta e atividade física. Ela aparece em primeiro lugar também na China, talvez como uma reação do setor fitness às ​​crescentes taxas de sobrepeso e obesidade nessas áreas.

 
2 – Medicina do Estilo de Vida: a nova área da medicina propõe a adoção de hábitos mais saudáveis (alimentação balanceada, atividade física regular, sono reparador, controle do estresse, relacionamentos saudáveis e controle do consumo de substâncias tóxicas como cigarro e álcool) para prevenir, tratar e até reverter doenças crônicas como diabetes, hipertensão, obesidade, problemas cardíacos e até alguns tipos de câncer.

 
3. Treinar com personal: se exercitar com um profissional que desenvolve um programa de exercícios focado nas suas necessidades e que acompanha de perto seus resultados vai ajudá-lo a atingir os objetivos.
 
4. Programas para adultos 60+: com o aumento da expectativa de vida, as pessoas estão buscando se cuidar e se manter ativas para envelhecer com qualidade de vida. E a prática de atividade física é tão importante nesse processo que gerou uma iniciativa chamada “Exercise is medicine” (o exercício é remédio), que encoraja os médicos a prescrever a atividade física como parte do tratamento e prevenção de doenças.
 
5. Treinamento funcional: baseado em movimentos que fazem parte do nosso dia a dia (correr, pular, agachar), trabalha vários grupos musculares ao mesmo tempo e melhora a resistência, a força, a flexibilidade, o equilíbrio e ajuda na perda e manutenção do peso.
 
6. Instrutores certificados em métodos específicos: aulas como Superioga, Ballet Fitness, Zumba, Fit Dance e Crossfit exigem que os professores passem por um treinamento especial e requerem um certificado para serem ministradas. Um ponto comum entre esses métodos é aumentar a motivação dos praticantes.
 
7. HIIT: sigla em inglês para treino intervalado de alta intensidade, que intercala, em uma mesma sessão, períodos de atividade muito intensa com pequenos intervalos de descanso. A proposta é aumentar o gasto calórico e melhorar o condicionamento físico em treinos mais curtos, que duram de 12 a 30 minutos.
 
8 – Aulas para pequenos grupos: os estúdios, com aulas específicas para grupos menores, são tendência no Brasil há alguns anos, quando despontaram como opção às grandes academias. As aulas para pequenos grupos acontecem também nos prédios e parques.

 

9 – Treinos online: a internet é a nova revista. Entre os anos 1990 e 2010 as revistas fitness com treinos (como Boa Forma, Women’s Health e Men’s Health) fizeram sucesso no Brasil. Essa tradição de se exercitar em casa a partir de uma aula desenvolvida por um especialista migrou do papel para a internet.
 
10 – Treinamento específico para esportes: a ciência aliada ao treinamento desportivo vem buscando aperfeiçoar mecanismos de aplicação de treinos que busquem melhorar o rendimento por meio de métodos específicos de cada modalidade.
 
Agora, a clássica lista das top 10 tendências mundiais de fitness


1. Tecnologia wearable (vestível): inclui os aparelhos e dispositivos tecnológicos que podem ser “vestidos” para auxiliar a prática de atividade física e a manutenção da saúde. Por exemplo: relógios e pulseiras que monitoram o batimento cardíaco, medem a distância e a velocidade da caminhada ou da corrida.

 
2. HIIT: sigla em inglês para treino intervalado de alta intensidade. Intercala atividade intensa com intervalos de descanso para aumentar o gasto calórico e o condicionamento físico em treinos curtos.

 
3. Treinos e aulas em grupo: aulas de bike, de yoga, de mat pilates, de lutas, de dança, treino funcional… Há uma grade imensa de opções. O fator motivacional é ponto importante para o sucesso das aulas coletivas, pois de turminha sempre fica mais divertido.

 
4. Treinamento com peso livre: nos treinos de força com o uso de halteres, kettlebell e medicine balls há uma maior solicitação muscular (inclusive dos músculos acessórios) para estabilizar e manter a postura correta. Esse tipo de treino possibilita trabalhar fibras musculares que não são solicitadas nos aparelhos de musculação. Outro diferencial: os exercícios podem ser realizados em casa, no salão do prédio ou em estúdios, caso você não goste do ambiente da academia. O treinamento com pesos livres é novidade na lista de tendências do ACSM.

 
5. Treinar com personal: o profissional desenvolve um programa de exercícios focado nas suas necessidades e acompanha de perto os resultados.

 
6. Exercício como “remédio”: segue a iniciativa “Exercise is medicine”, que encoraja os médicos a recomendarem a atividade física como parte do tratamento e prevenção de doenças.

 
7. Treinamento com peso do próprio corpo: melhora o condicionamento físico e trabalha os músculos do corpo todo com exercícios como agachamento, afundo, flexão de braços, prancha, abdominais. É barato, eficaz e pode ser feito em qualquer lugar.

 
8. Programas para adultos 60+: fruto do aumento da expectativa de vida e do reconhecimento da importância da prática de atividade física para a saúde e o bem-estar.

 
9. Coaching de saúde e bem-estar: integra a ciência comportamental aos programas de promoção da saúde e medicina do estilo de vida. O coaching (treinamento) em saúde e bem-estar foca nos valores, necessidades, visão e objetivos de curto e longo prazo do cliente (ou de pequenos grupos), usando estratégias de intervenção para mudança de comportamento. O coaching de bem-estar está entre as 20 principais tendências desde 2010.

 
10. Instrutores certificados em métodos específicos: aulas como Superioga, Ballet Fitness, Zumba, Fit Dance e Crossfit exigem que os professores passem por um treinamento especial de certificação.

Me acompanhe nas redes sociais!

Instagram . | . Facebook . | . YouTube

Loading...
Revisa el siguiente artículo