Quem não cuida dos bons...

Por José Luiz Datena

De novo discutir o caso da prisão em segunda instância. Num país violento e corrupto como o nosso, esse instrumento legal foi um avanço. Claro que não vou discutir termos técnicos dos detalhes de gente muito mais preparada para isso. Mas, no popular, quanto mais cedo gente perigosa for pra cadeia melhor. Perigosa em todo sentido: gente do crime de colarinho branco, maníacos sexuais, sequestradores, crime organizado e coisas do tipo.

Há países como os Estados Unidos em que dependendo do crime é cadeia em primeira instância mesmo. Mas, na nossa lei libertária, com um Código Penal de quase 80 anos e Código Processual ultrapassado, há quem defenda o trânsito em julgado. Quer dizer, toda chance ao réu independentemente do crime que cometeu.

No centro de tudo está o Lula. Mas especificamente no caso dele o que está em julgamento é se foi realmente prejudicado ou perseguido por Moro e a turma de Curitiba. Isso não pode servir de norte para soltar da prisão um e soltar milhares de bandidos. É só analisar caso a caso, como o dele, por exemplo. Se foi prejudicado por questões políticas ou técnicas, que se refaça o erro referente a ele e se mantenha um dispositivo importante de combate ao crime num Brasil roubado e assombrado pelo medo do dedo leve no gatilho dos marginais cada vez mais ousados, armados e malvados. Não queremos um estado policialesco, mas também não o queremos benevolente com essa corja armada com armas pesadas contra o povo e mão grande contra o dinheiro público. Bandido é bandido e o que o separa do ser humano de bem que lê esta coluna é a grade que o afasta de você e dos seus. Já estou cansado no programa que apresento sobre fatos reais, não é novelinha de TV, de ver seres monstruosos cada vez mais sedentos de praticar o mal pelo mal. O ministro Toffoli é quem vai decidir. Tem nas mãos a difícil tarefa de aparelhar a sociedade contra essa legião do mal.

Para finalizar, o governo de São Paulo tem que voltar atrás e dar aos policiais do estado um aumento digno de agentes da lei que, como todo brasileiro, ganham muito mal. Só que para enfrentar todo dia essa corja de quem falei. O aumento para a polícia é ridículo e tem que ser revisto. Quem não cuida dos bons fortalece os maus.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo