Prefeito, cadê você?

Por André Machado

Sábado, dia 24, Cine Capitólio. A prefeitura realizava a reunião final do evento que celebrava os 30 anos do Orçamento Participativo em Porto Alegre. Diante de espectadores de Uruguai, Canadá, Espanha e Peru, a conselheira Jurema Silveira, da região Cristal, disparou críticas ao prefeito Nelson Marchezan Júnior, que não participava do painel. “É o primeiro prefeito que vira as costas para a organização popular”, afirmou ela, ao destacar a ausência do prefeito às plenárias durante o mandato. “Se dependesse dele, não estaria fazendo 30 anos, ele não queria o OP”, acusa.

é pouco mesmo. Marchezan só foi a duas reuniões do conselho do OP desde o início do seu mandato, em janeiro de 2017. Os encontros são quinzenais.

defesa. Coube ao secretário-adjunto das Relações Institucionais, Carlos Siegle, fazer a defesa do Executivo. Ele destaca que o compromisso da atual gestão é entregar e rever as demandas pendentes de execução. No ano passado, 1.697 demandas seguiam sem ser executadas. Foram canceladas 672 por terem ficado obsoletas. Siegle foi poupado nas críticas.

impeachment. Os bastidores do novo pedido de impeachment do prefeito Marchezan dão conta que foi redigido no gabinete de um partido de oposição e apresentado por um filiado ao PP, o que fez a bancada progressista sair pela tangente. O vice-prefeito Gustavo Paim ficou incomodado com o encaminhamento.

fortunati 2020. Alguém já ouviu o ex-prefeito José Fortunati negando, peremptoriamente, que não será candidato à prefeitura? O que se ouve é que vai estudar na Europa… O detalhe é que volta a tempo.

para quê? Chama-me muita atenção a prática recorrente das forças de segurança no momento de apreensão de drogas. Invariavelmente, o policial responsável revela o valor equivalente do produto apreendido. Qual a razão? A informação funciona como um incentivo para que mais pessoas se aliem ao tráfico. É o tiro saindo pela culatra.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo