Sitting is the new smoking: vamos diminuir o tempo sentado?

Por Angélica Banhara

Quantas horas do seu dia você passa sentado — trabalhando, em frente ao computador ou à TV? Você sabia que, ao trocar duas horas do tempo sentado pelo mesmo tempo em pé você já melhora os níveis do açúcar, gordura e colesterol no sangue?

“Substituir 1 hora sentado por 1 hora de caminhada reduz em 20% o risco de doenças cardíacas e problemas cardiovasculares”, afirma o clínico geral e pneumologista Gabriel Rozin, especialista em Medicina do Estilo de Vida.

Não faltam comprovações dos benefícios dos exercícios físicos regulares para a saúde. Mas o que tem chamado cada vez mais atenção são os estudos que mostram a importância da NEAT: Non-Exercise Activity Thermogenesis, ou seja, das atividades físicas espontâneas ou não programadas — como subir escadas e caminhar até a padaria — para a saúde cardiovascular e a longevidade. Para completar o quadro, pesquisas relacionam períodos prolongados na cadeira com um risco maior de doenças graves e morte prematura.

Diante desses dados, os médicos que trabalham como prevenção e tratamento de doenças crônicas — em especial as cardíacas, campeãs de mortalidade no Brasil e no mundo — têm enfatizado a importância da redução do tempo sentado para uma vida mais saudável.

“Mais importante do que ficar uma hora na academia três vezes por semana e depois passar oito ou nove horas sentado é tentar ser mais ativo no dia a dia”, afirma Rozin. O excesso de tempo sentado está relacionado a maiores riscos de obesidade, diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares.

Segundo o médico, nos últimos anos, os trabalhos sedentários subiram de 15% para 25% e os trabalhos ativos caíram de 48% para 20%. Soma-se a isso o chamado “tempo de tela": cerca de 60% das pessoas passam mais de três horas por dia na tela do celular ou da TV.

Faça a conta: uma pessoa que trabalha sentada por pelo menos 8 horas diariamente, gasta cerca de 2 horas no transporte (de preferência, sentada), leva pelo menos 1 hora para fazer as refeições à mesa, à noite ou nos momentos do lazer também está sentada, colada na Netflix, e dorme de 7 a 8 horas, passou 20 horas (ou mais) sentada ou na horizontal!

"A ausência de movimento ou a atividade física insuficiente é fator de risco para diversas doenças e tem um efeito negativo na saúde mental e na qualidade de vida. Por outro lado, uma vida mais ativa diminui o risco de síndrome metabólica, de problemas cardiovasculares, hipertensão e de mortalidade por todas as causas”, diz Rozin. Vamos reverter isso?

O tempo sentado é um fator de risco cardiovascular.

Ficar em pé (quando fala no telefone, nos encontros com os amigos etc) é melhor do que ficar sentado.

Todo movimento conta: evite elevador, escadas rolantes e coloque mais movimento no dia a dia!

Me acompanhe nas redes sociais!

https://www.instagram.com/angelicabanhara/

https://www.facebook.com/angelica.banhara

http://bit.ly/AngelicaBanhara-youtube

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo