Mulher de Haddad tem ‘boquinha’ no Maranhão

Por Cláudio Humberto

Mulher do ex-candidato do PT a presidente, Ana Estela Haddad desfruta de boquinha a quase 3 mil quilômetros de distância em uma fundação credenciada pelo Ministério da Educação no Maranhão, um dos estados mais pobres do País. Só em 2018, Ana Estela recebeu mais de R$ 32 mil da Fundação Josué Montello, parceira do governo Flávio Dino (PCdoB). Este ano, madame já levou R$ 13 mil. Planilha no blog do jornalista Filipe Mota atesta remuneração do CPF *.257.668-.**

Boca de siri

A coluna tentou sem êxito saber da sra. Haddad a natureza do vínculo à Fundação. O PT diz não tratar de “assuntos de natureza pessoal”.

Diz que não estou

Procurado, o governo do Maranhão, controlado pelo PCdoB, partido que é velho aliado do PT, não respondeu aos questionamentos.

Diz que morri!

A fundação Josué Montello também foi indagada sobre o assunto, mas se recusou a explicar o vínculo com Ana Estela Haddad.

Contas rejeitadas

A Josué Montello já se enrolou com o Ministério Público no passado. As contas de 2004 a 2008 foram rejeitadas pelo Tribunal de Contas.

Governos do PT deram R$ 30,7 bilhões a 4 países

A lista de países que mais receberam financiamentos do BNDES nos governos Lula e Dilma mostra onde foi parar o dinheiro que teria feito a diferença em áreas miseráveis do País. E tudo para garantir contratos sem licitação para a Odebrecht, na maior parte dos casos. Apenas quatro países – Angola, Argentina, Venezuela e República Dominicana – levaram do Brasil US$ 8 bilhões em financiamentos sem retorno. Pior: o avalista do empréstimo é o governo brasileiro, ou seja, o contribuinte.

Pagando em dobro

O contribuinte pagará tanto o que o BNDES tomou do Tesouro para financiar a Odebrecht lá fora quanto o calote do países financiados.

R$ 12,6 bilhões no lixo

Lula mandou o BNDES dar R$ 12,6 bilhões do Tesouro para financiar obras da Odebrecht em Angola. O prejuízo é o dobro desse valor.

Dinheiro salvador

Somente a bolivariana Venezuela aplicou um beiço de US$ 1,5 bilhão no Brasil. Equivalem a R$ 5,7 bilhões que salvariam vidas no Nordeste.

Vale continua impune

Prenderam arraia miúda, prenderam vigaristas que se passaram por vítimas para ganhar indenização, mas prender diretores da Vale pelo que deixaram de fazer para evitar Brumadinho, até agora, nada.

‘Ética’ com mordomia

Não explicam, mas os presidentes do Conselho de Ética e de um “Centro de Estudos e Debates Estratégicos” da Câmara dos Deputados têm direito a carro oficial com placa preta, tudo por nossa conta.

Dia 17 será punk

Vale falar da mãe, puxão de cabelo e dedo no olho, na estratégia da oposição a Bolsonaro para tentar impedir a reforma da Previdência na CCJ, dia 17. Petistas apostam na inexperiência do PSL.

Tudo sob controle

O presidente do PSL, Luciano Bivar, está orgulhoso do desempenho dos deputados do partido na CCJ da Câmara. Afinal, lembra ele, o PSL elegeu o presidente e escolheu o relator da reforma da Previdência.

Mourão sabe jogar

Mais que jogar para a plateia, o vice Hamilton Mourão parece determinado a jogar para a mídia hostil a Jair Bolsonaro. O general tem o talento de falar exatamente o que um e outro desejam ouvir.

Mudança de posição

Após dar um rolê na bolsa de valores de São Paulo falando mal da reforma da Previdência, o deputado Mauro Benevides Filho (PDT-CE) deu a Paulo Guedes a impressão de estar convencido a apoiá-la.

Pura embromação

Ex-ministro de Dilma e Líder da Maioria, o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) diz “não haver contagem de votos” do apoio à reforma da Previdência na Câmara. “Isso cabe a quem apresenta a proposta”.

Marcha dos prefeitos

Será realizada em Brasília nesta quarta-feira (10), centésimo dia do governo Jair Bolsonaro, a 22ª Marcha dos Prefeitos em Defesa dos Municípios. Centenas de prefeitos já confirmaram a participação.

Pensando bem…

…quando Bolsonaro afirma que não nasceu para ser presidente, é como no meio do voo o piloto dizer aos passageiros que a sua especialidade é pular de paraquedas.

poder sem pudor Arte / Metro Jornal

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo