Lobby venceu: reeditada MP de Dilma e Temer

Por Cláudio Humberto

O presidente Bolsonaro enviou ao Congresso a Medida Provisória 877, que autoriza compra de passagens diretamente às companhias aéreas, e com cartões corporativos, exatamente como o lobby das empresas conseguiu dos governos Dilma e Temer. A MP garante o céu às empresas aéreas, dispensando-as da retenção na fonte de impostos que incidem sobre as passagens. O lobby das aéreas obteve em 2014 a primeira MP, no governo Dilma, renovada por Michel Temer em 2017.

Para sempre
A MP de Bolsonaro ainda dá às empresas aéreas uma colher de chá adicional às MPs: não tem prazo para acabar.

O maior e melhor
O governo se transformou no maior cliente das cias., em detrimento do cidadão, explica a empresária de agência de turismo Ana Merheb.

Bilionária
Até o momento, o volume pago pelo governo federal às companhias aéreas através de cartões corporativos é de R$ 1,3 bilhão.

Economia fajuta
Segundo o Planejamento, a compra direta representa economia de R$13 milhões. Mas impostos não-retidos representam R$ 50 milhões.

Luta de Crivella é contra ambições pelo cargo
Presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, chamada de “Gaiola de Ouro” desde 1923, o vereador Jorge Felippe (MDB) se declarou impedido votar a admissibilidade do impeachment do prefeito Marcelo Crivella alegando razão ética: é o primeiro na linha sucessória, caso o titular perca o mandato. Mas poucos no teatro da Câmara acreditam que as digitais Jorge Felippe não estivessem nos 33 votos que aprovaram a admissibilidade do impeachment de Marcelo Crivella.

Expectativa de poder
Após a morte do vice Fernando Mac Dowell, o jogo começou a virar contra Crivella na Câmara presidida pelo seu novo vice, claro.

Transferência de poder
A comissão da Câmara do Rio tem maioria simpática a Crivella, mas esses vereadores são cada vez mais ligados a Jorge Felippe.

A História ensina
Fernando Collor foi afastado para enfrentar processo de impeachment no Senado, enquanto o vice compartilhava o governo com senadores.

Batalha pelo MEC
O senador tucano Izalci Lucas (DF) percebeu que a queda do ministro da Educação era iminente e começou a articular sua própria indicação. Durante três semanas fechou apoio de 6 das 7 principais igrejas evangélicas. De quebra, ainda obteve apoio do movimento maçom.

Compromisso
Cristão novo do PRB, egresso do DEM, o deputado João Roma (BA) ganhou o apoio peso-pesado de ACM Neto, mas não recebeu a bênção do bispo Edir Macedo, que já havia se comprometido com Izalci Lucas.

Funciona quando quer
Quando Rodrigo Maia tem interesse, a Câmara dos Deputados adquire rapidez estonteante: será nesta terça (9) a audiência pública sobre o leilão da Ferrovia Norte-Sul, ocorrido 12 dias atrás. Humm…

Ideia de jerico
Experientes parlamentares não aconselham a tramitação simultânea da Reforma Tributária e da Reforma da Previdência. É uma velha lei não escrita da política: se uma pode atrapalhar a outra, vai atrapalhar.

Quanta ‘gentileza’
Além de vender a TAG por R$35 bilhões à Engie e ao grupo canadense CDPQ, a Petrobras ainda vai fechar “contratos de longo prazo” com sua ex-transportadora de gás para tornar o negócio mais atraente.

Tudo virou negócio
Lobistas da bilionária indústria da multa pressionam seus parceiros em órgãos de trânsito para divulgarem números milagrosos sobre radares (ou pardais), após Bolsonaro suspender a compra de 8 mil deles.

Petistas que apoiam a reforma
Em relação à reforma da Previdência, o ministro Paulo Guedes conta com apoio nos estados e municípios: “O bom é que como está cheio de governador também do PT, prefeito do PT, todo mundo sem dinheiro”.

Capital do Choro
A capital federal será a capital mundial do choro entre os dias 23 e 28 de abril. Brasília sediará o primeiro Encontro Internacional de Choro (EICHO), em comemoração aos 20 anos do Clube do Choro da cidade.

Pergunta em Curitiba
Cadê aqueles candidatos do PT que visitavam Lula diariamente, durante a campanha de 2018? O gato comeu?

poder sem pudor
Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo