Cyberbullying: vamos falar sobre isso?

Por Canguru no Metro

Aos 13 anos, Giovanna Rossetto tornou-se a primeira embaixadora de um movimento nacional lançado para combater o cyberbullying entre crianças e adolescentes. “As pessoas estão sofrendo, isso não é brincadeira”, diz a menina, que é aluna de uma escola privada em Diadema, na Grande de São Paulo. Até o dia 30 de abril, outros adolescentes como Giovanna podem ser tornar embaixadores da causa. Candidatos devem postar um vídeo no YouTube contando como têm contribuído para combater o cyberbullying  entre os colegas. Instruções e regras sobre a seleção estão no site www.movimentosmobilizadores.com.br.

Estatística alarmante

A campanha, motivada por uma estatística alarmante – o Brasil é o segundo país no ranking mundial da incidência de casos de bullying virtual contra crianças e adolescentes -, é uma iniciativa da Zoom Educação For Life. A empresa começou a distribuir nesta semana material didático gratuito para escolas públicas e particulares que queiram trabalhar o tema com alunos na faixa etária entre 11 e 16 anos.

Outro contexto

“Queremos colocar os alunos como protagonistas e potenciais influenciadores dos adultos a respeito de assuntos importantes para todos nós”, explica Marcos Wesley, fundador da Zoom. A ideia é que os estudantes levem o debate para casa. “Os pais também precisam de orientação”, diz a pedagoga e advogada Cristina Sleiman, que é consultora do movimento. “O bullyng já existia quando esses pais eram adolescentes, e também havia consequências, mas o contexto era outro.” O acesso à internet e uso das redes sociais amplificou o potencia de risco.

Respeito ao próximo

Para Cristina, combater o bullying é falar com crianças e adolescentes sobre valores e respeito ao próximo. Por isso é fundamental o envolvimento dos pais e também das famílias. O material didático que está sendo distribuído pela Zoom inclui jogos digitais e físicos, webinário, vídeos aulas e convite para um concurso cultural. Escolas interessadas em aderir podem ser inscrever no site do Movimentos Mobilizadores na Educação.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo