Dilma pode virar ‘bola da vez’ na CPI do BNDES

Por Cláudio Humberto

A sentença de Lula, que completa o primeiro ano no domingo, e a recente prisão de Michel Temer, fizeram lembrar que a sucessora do primeiro e antecessora do segundo continua escapando de fininho. Dilma foi acusada de envolvimento em corrupção nos primórdios da Lava Jato, quando o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró revelou seu aval, como presidente do conselho de administração, para a compra hiper-faturada da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

Começo do fim

A sensação de impunidade pode mudar com sua intimação para depor na CPI do BNDES, pretendida pelo deputado Kim Kataguiri (DEM-SP).

Muito a explicar

A CPI do BNDES vai esmiuçar os financiamentos do banco no exterior, inclusive no governo Dilma, favorecendo sobretudo a Odebrecht.

Quadrilhão na fila

Dilma também foi denunciada por suposto envolvimento no “quadrilhão do PT”, que é acusado de roubar R$ 1,5 bilhão dos cofres públicos.

Cúpula do PT

O juiz federal Vallisney Oliveira abriu ação penal em 2018 que promete emoções: a cúpula do PT é acusada de organização criminosa.

Especialista em comércio dá novo sentido a Apex

A posse do embaixador Mário Vilalva fez a Apex Brasil retomar o caminho do incentivo à exportação sem viés ideológico, como quer Jair Bolsonaro. Mas não tem sido fácil. Nos governos do PT e Temer, a Apex virou antro de militantes e solução para acomodar pessoas, em cargos de direção, que não fazem pálida ideia de comércio exterior. Bem ao contrário do diplomata: ex-diretor do Departamento Comercial do Itamaraty, Vilalva é um dos maiores especialistas do País.

Experiência

O presidente da Apex foi embaixador em países de forte atuação em comércio exterior, como Chile, Portugal e Alemanha.

A serviço de Lula

Nos governos do PT e Temer, a Apex manteve escritório em Cuba apenas para dar salário gordo a um militante petista amigo de Lula.

Cabide petista

A sede da Apex em Brasília foi usada para abrigar petistas ligados a José Dirceu e Franklin Martins, que muito mal fizeram à agência.

Depondo, senhoras

O deputado Kim Kataguiri (DEM) quer a CPI do BNDES convocando conhecidas figuras das páginas político-policiais, como Dilma e sua amiga Graça Foster, ex-presidente da estatal Petrobras.

Agora com relator

Ministro da Economia e “Líder do Governo”, Paulo Guedes já confirmou que vai à Comissão de Constituição e Justiça da Câmara nesta terça. Terá de reunir três predicados: paciência, paciência e paciência. É que a turma minoritária, mas do barulho, promete tocar o terror.

O espírito da coisa

Ex-presidente da Embratur demitida antes de gastar R$ 290 mil em um jantar, Teté Bezerra adora viajar, dizem amigos. Deve ter achado que a Embratur não é órgão de fomento de turismo e sim agência de viagens.

Ah, bom

Em documento ao Supremo Tribunal Federal, procuradores de Curitiba sustentam que a criação do fundo R$ 2,5 bilhões a ser gerido por uma fundação da qual fariam parte obedecem as leis… dos Estados Unidos.

Animais

Está na agenda do Senado, terça, a discussão sobre o Estatuto dos Animais, na Comissão de Assuntos Econômicos. Dias após a polêmica liberação, pelo STF, de sacrifício religioso de animais no Brasil.

Teoria da conspiração

Militares adeptos da “teoria da conspiração” acreditam que um grande grupo, inconformado com o corte de verbas da publicidade, aposta no desgaste e no impeachment de Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão em dois anos, e na eleição de Rodrigo Maia para o cargo pela via indireta.

Passado glorioso

Pesquisa FGV indica que as décadas dos melhores resultados econômicos para o Brasil foram 1951-60 (crescimento de 7,4%) e 1971-80 (8,6%). Os anos 1980 foram a década perdida.

Perrengue da Previdência

Amanhã completam-se 28 anos desde a criação da CPI da Corrupção da Previdência. Isso equivale a 7 mandatos presidenciais. Até hoje ninguém conseguiu mudar, de fato, o sistema previdenciário.

Pensando bem…

…primeiro de abril deveria ser consagrado o Dia do Político.


Poder sem pudor

Muito alto, quase 2m, o então senador Wellignton Salgado (PMDB-MG) fez graça ao reclamar da altura dos microfones do plenário no Senado, que estariam, digamos, atrapalhando sua performance: “Minas não se curva!”. Tião Viana (PT-AC), que presidia a sessão, com senso de humor próximo de zero, informou secamente: “O microfone alcança 50 centímetros acima, senador”.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo