Paulo Guedes promete ‘chuva de investimentos’

Por Cláudio Humberto

O ministro Paulo Guedes (Economia) deu show durante horas de sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, nesta quarta (28), quando prometeu que “vai chover dinheiro para investimentos no Brasil”. Pareceu convincente. A impressão é a de que os senadores, de modo geral, estão sintonizados com a necessidade da reforma, mas aproveitaram o momento para algum brilhareco.

Tá na mão

Com a reforma da Previdência, “vamos entrar num longo período de crescimento”, disse Paulo Guedes, “tá na mão do Congresso”.

Quebradeira

O Estado generoso e perdulário, diz Paulo Guedes, “quebrou Petrobras, quebrou Caixa, quebrou tudo”.

Solta minha pasta

O ministro teve um rápido bate-boca com Kátia Abreu (PDT), aquela que roubou a pasta, na eleição do Senado. Desta vez ela se conteve.

Salário sob risco

Se a reforma da Previdência não for aprovada, “o Brasil vai explodir”, advertiu Guedes. Não vai poder pagar nem salário de servidor público.

TCU mergulha o DF em crise sem precedentes

Decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), nesta quarta (27), confiscando R$ 700 milhões, pode mergulhar o Distrito Federal numa crise sem precedentes, semelhante a de estados como o Rio Grande do Sul, quando os salários foram parcelados e serviços públicos suspensos. Ministros do TCU julgaram disputa entre o DF e a União que só pode ser julgada pelo Supremo Tribunal Federal, segundo a Constituição. O governador Ibaneis Rocha levará o caso ao STF.

Má vontade

Ibaneis atuou como advogado na sessão do TCU, mas o esforço não venceu a má vontade de parte dos ministros em relação a Brasília.

Contra Brasília

Aroldo Cedraz, Benjamin Zymler, Bruno Dantas, Vital do Rêgo e Walton Alencar votaram contra. A favor, Raimundo Carreiro e Augusto Nardes.

Briga por imposto

A questão União x DF tem a ver com a receita de imposto de renda sobre repasses federais para soldos de policiais militares e bombeiros.

Angu com caroço

As reações do presidente da Câmara Rodrigo Maia, contra Jair Bolsonaro continuam desproporcionais, exageradas, agressivas, para ser só retaliação à malcriação de Carlos Bolsonaro. Aí tem coisa.

Aí é mais caro

Assim como fez tramitar e aprovar em horas a proposta de emenda que limitou o poder de gastos do governo, Rodrigo Maia poderia fazer aprovar a PEC da reforma da Previdência. Mas aí seria fácil demais.

Brêtas na CPLP

O presidente Jair Bolsonaro bateu o martelo ontem: o embaixador Pedro Brêtas chefiará a representação do Brasil junto à Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), com sede em Lisboa.

Comunicação em pauta

Paulo Guedes se reuniu na segunda (25), em um restaurante de Brasília, com o estado maior da reforma da Previdência em seu Ministério da Economia. Incluindo o marqueteiro Daniel Braga, cujo trabalho nas campanhas de João Doria foi muito elogiado.

Distância importa

A deputada Paula Belmonte (PPS-DF) conferiu: o presídio federal de Catanduvas fica a 476 km de Curitiba, o de Mossoró a 300 km de Natal. E o de Brasília, a menos de 20 km da Praça dos Três Poderes.

Questão de audiência

Com o fim da transmissão ao vivo da TV Senado e outras emissoras da sessão com o ministro da Economia, desapareceu subitamente o interesse dos senadores pela reforma. A comissão ficou deserta.

Musical Brasília 60 anos

O ator Miguel Falabella já sinalizou disposição de aceitar convite para produzir um grande musical alusivo aos 60 anos de Brasília, que serão comemorados em 2020. A idéia do espetáculo é do presidente da Fecomércio-DF, Francisco Maia, um admirador do artista.

Investimento estrangeiro

O Banco Interamericano de Desenvolvimento tem uma carteira de projetos em execução para o setor agropecuário que envolve recursos de mais de US$ 1,3 bilhão em 15 países do continente americano.

Pensando bem…

…só interessa barrar a reforma da Previdência àqueles que já estão muito bem (e muito ricos) com o sistema atual.

poder sem pudor Reprodução
Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo