Com o nosso dinheiro

Por Rose Guglielminetti

Os vereadores de Campinas devem aprovar amanhã, em regime de urgência, a volta do vale refeição aos assessores da Câmara de Vereadores. Cada um dos 235 comissionados vai receber um vale de R$ 1,3 mil por mês. A medida vai gerar um gasto a mais de R$ 2,8 milhões ao ano para os cofres públicos. Entre comissionados e assessores, o Legislativo campineiro vai gastar cerca de R$ 6 milhões ao ano apenas com o benefício do tíquete. O presidente da Câmara, Marcos Bernadelli (PSB) – que cumpre a promessa que fez aos vereadores de voltar com o benefício aos comissionados para ser eleito presidente da Casa –, diz que o impacto será pequeno. Só para lembrar, há 15 anos a Câmara suspendeu o fornecimento de tíquetes porque alguns vereadores da Câmara simplesmente embolsavam os vales para si. Bondade com o dinheiro alheio é fácil!

Ajudinha

O PSB de Campinas, partido do prefeito Jonas Donizette, enviou uma orientação aos seus filiados e aos servidores municipais para que defendam o chefe do Executivo nas redes sociais.

As mensagens enviadas via WhatsApp dizem que Jonas seria alvo de “trollagem” (chacota) nas publicações das redes sociais do vereador Gilberto Vermelho (PSDB), que integra a base de governo. As “trollagens”, na verdade, são críticas dos moradores de Campinas em relação a falta de medicamentos e de médicos nas unidades de saúde. Os posts também reclamavam do governo de forma geral. A orientação dada aos filiados e apoiadores de Jonas é para que seja feita a defesa do prefeito citando realizações da administração municipal. E ainda há o cuidado na mensagem para que não postem o mesmo texto ressaltando as obras do governo. Logo que a orientação passou a circular, ontem, já começaram a aparecer mensagens elogiosas ao governo jonista.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo