Respeito ao Português

Por andremachado

Respeito ao Português

O alerta foi dado pelo professor Cláudio Ribeiro, colunista de língua portuguesa do “90 Minutos”, na Rádio Bandeirantes. O idioma é atacado nas placas de obras públicas em Porto Alegre. O foco é a crase. “Obras à 100 metros”, diz um aviso na Padre Cacique. O acento é inexistente. O professor lembra da importância que esta “lousa” pública tem para os cidadãos. Não custa nada perguntar para não errar.

comunitário. Uma homenagem ao meu pai, Dilamar Machado, me levou, pela primeira vez, ao Carnaval comunitário de blocos. Estive no Morro Santana, no domingo, para acompanhar o Bloco da Figueira. A presença de uma estrutura de qualidade nas periferias dá às comunidades o que tem pouco: lazer.


passagem. Há quem possa minimizar o fato, mas muita gente que mora nos bairros mais periféricos não tem sequer R$ 4,30 para pagar a passagem de ônibus e vir para a Cidade Baixa, por exemplo. Tarifa que deve subir ainda nesta semana. A reunião do Comtu será na quinta-feira.

sobre o carnaval. Conversei com o presidente do Conselho Deliberativo da Portela (RJ), Fábio Pavão. Foi enfático ao afirmar que, cada vez mais, as escolas de samba precisarão de verbas próprias para os seus desfiles. A azul e branco de Madureira conseguiu bancar um terço do seu investimento neste ano. Quer ampliar. O resto ainda vem de subvenção.

por aqui. Ao contrário do Rio de Janeiro, onde a retirada das verbas públicas tem sido gradual, por aqui o desmame se fez de uma vez só. As escolas ainda não conseguiram se reerguer. Os desfiles estão marcados para os dias 15 e 16 de março e não há sinais de que a festa terá parte do brilho que teve até 2017.

teia. Será na Padre Cacique a próxima etapa de retirada de fios inservíveis que poluem visualmente a cidade e transformam os postes da CEEE em um cemitério de cabos abandonados. Só na esquina da Borges com Ipiranga, foram retirados 500 quilos de fios.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo