As 3 melhores dietas para seguir em 2019

Por Angélica Banhara

Quem incluiu perder uns quilinhos ou cuidar melhor da alimentação nas promessas de ano novo levanta a mão! Sim, a proposta faz parte de dez entre dez listas desejos & decisões. Mas não adianta cortar alimentos sem critério ou apostar em dietas malucas. Para ajudá-lo a fazer melhores escolhas à mesa, veja as dietas consideradas campeãs pela publicação U.S. News & World Report, especializada em rankings.

O 1º lugar ficou com a Dieta Mediterrânea, uma unanimidade entre médicos e nutricionistas. Ela também foi a primeira colocada nas categorias: Melhor Dieta para Alimentação Saudável, Dieta Mais Fácil de Seguir, Melhor Dieta para Diabetes e Melhor Dieta para o Coração.

O cardápio mediterrâneo tem como base da alimentação diária verduras, legumes, frutas, cereais integrais, grãos, castanhas, sementes, gorduras boas (em especial o azeite de oliva extravirgem), ervas e especiarias. Peixes e frutos do mar devem ser consumidos pelo menos duas vezes na semana. Leite, laticínios e ovos entram com moderação e as carnes e açúcares, com pouca freqüência. “Essa combinação  garante um bom aporte de fibras e antioxidantes fundamentais para a saúde, longevidade e prevenção de doenças”, explica a nutricionista Mariana Della Torre, de São Paulo.

"Na dieta mediterrânea, apreciar as refeições com outras pessoas e ser fisicamente ativo tem grande importância”, completa.

Pesquisas comprovam que a dieta mediterrânea, além de ajudar na perda e manutenção do peso, protege o coração e diminui o risco de infarto, derrame e diabetes: por isso, tem sido recomendada pelos médicos como coadjuvante no tratamento dessas doenças crônicas. E mais: ela aumenta a longevidade genética. Pesquisadores da Universidade de Harvard concluíram que quem segue o cardápio mediterrâneo tem a degeneração celular mais lenta e pode ganhar mais anos de vida com qualidade por conta das suas escolhas alimentares.

Em 2º lugar vem a Dieta DASH, sigla para Abordagem Dietética para Combate à Hipertensão, traduzida do inglês. "Ela estimula a redução do sódio (até 2.300mg/dia, cerca de 6 gramas de sal) e inclui alimentos ricos em potássio, cálcio e magnésio, que ajudam a reduzir a pressão arterial. Incentiva o consumo de verduras, legumes, frutas, cereais integrais, admite frango, peixes e lácteos baixos em gordura e restringe os alimentos ricos em gordura saturada, colesterol e gorduras em geral”, afirma Mariana.

O 3º lugar ficou a a Dieta Flexitariana, união de flexível e vegetariana. A ênfase do cardápio é nos alimentos naturais de origem vegetal, mas sem proibir carnes e produtos de origem animal. Segundo a nutricionista, a dieta tem conquistado cada vez mais adeptos por ser mais flexível que a vegetariana ou vegana. 

Para a elaboração do ranking, 23 especialistas, analisaram 41 dietas, classificadas em nove categorias. Veja aqui

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo