Senado escolhe entre as novidades e o sinistro

Por Cláudio Humberto

Apesar de envolver apenas 81 “eleitores”, a disputa pela presidência do Senado mobiliza as atenções dos meios políticos em razão da ameaça de retorno de Renan Calheiros (AL) ao cargo, como candidato do MDB escolhido nesta quinta-feira (31) em votação apertada. Essa eleição para a mesa diretora fez um dos juristas mais admirados do País, Modesto Carvalhosa, gravar vídeo apelando aos senadores para declararem seus votos contra o que há de “corrupto e sinistro”.

Novatos na briga
Contra velhas raposas políticas concorrem senadores como os novatos Major Olímpio (PSL-SP) e o novato Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Experiência contra MDB
Entre os mais experientes estão Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Álvaro Dias (Pode-PR), que se apresentam com opção ao nome do MDB.

Eu sozinho
Com propostas que o deixam isolado, porque preveem o fim de regalias dos senadores, Reguffe (DF) acha que só terá o próprio voto.

Porta de saída
Esperidião Amin (PP-SC) e Angelo Coronel (PSD-BA) “correm por fora” em candidaturas a presidente do Senado que tendem a ser retiradas.

Vale agora faz pose de ‘vítima’ para fugir da culpa
A Vale adota uma estratégia de “vitimização” para se afastar da culpa pela tragédia que pode ter matado 350 pessoas em Brumadinho, para além dos danos ambientais incalculáveis. O presidente marqueteiro da Vale agora se aproxima de autoridades que o deveriam tratar como investigado. Ousado, Fabio Schvartsman viajou a Brasília para tentar conversar com a procuradora-geral da República sobre “indenizações extrajudiciais” às vítimas. O pior é que Raquel Dodge o recebeu.

Quem contrata
A direção da Vale tenta se “blindar” ou contestar as investigações da polícia contratando um “comitê” para “apurar as causas da tragédia”.

Quanto custará?
A Vale se negou a informar quanto pretende gastar com o tal “comitê”, chefiado pela ministra Ellen Gracie. Alega que “está em formação”

Omissão criminosa
Entre Mariana e Brumadinho, a Vale lucrou R$ 42 bilhões, até por não pagar multas de R$ 368 milhões, nem gastar na prevenção da tragédia.

Confiança recorde no DF
O Índice de Confiança do Empresário Industrial do DF bateu recorde em janeiro. E o maior desde 2010, início do levantamento: 64,7 pontos. O otimismo coincide com o início do governo Ibaneis Rocha (MDB).

Independência necessária
Se não agir com firmeza, o “observatório” de grandes tragédias vai ficar parecendo coisa de quem procura uma vaga debaixo dos holofotes de Brumadinho. Até porque, provocada, a Justiça tem agido com rapidez.

Almoço de negócios
Os 513 deputados tomam posse nesta sexta (1º), às 10h, e terão uma decisão rápida sobre os blocos parlamentares. O limite para formação e apresentação oficial das alianças é logo após o almoço, às 13h30.

Fruet de volta
O ex-prefeito de Curitiba Gustavo Fruet (PDT) foi tietado ontem na Câmara, onde está de volta. Ele herdou o raciocínio rápido e senso de humor do pai, Maurício Fruet, maior gozador da história do parlamento.

De hoje não passa
Deputados federais que quiserem concorrer à presidência da Câmara terão até às 17h para registrar candidatura. Às 18h começa a sessão para eleição do presidente, vices e secretários da Mesa Diretora.

Gota no oceano
Reduziu em 3.428 nomes, entre setembro e dezembro, o número de servidores, aposentados e pensionistas na folha de pagamentos do governo federal. Mas o alívio é mínimo: ainda há 1.272.847 por lá.

Fábrica de boquinhas
Em 2015, apenas 19 partidos atingiram o pré-requisito mínimo de 5 deputados para ter liderança na Câmara. A partir de fevereiro serão 21 partidos com direito a gabinetes e quase 1400 cargos.

A redescoberta do relógio
Brasileiro em Lisboa fazendo inveja, via whatsapp, ao amigo que, como ele, adoraria viver em Portugal: “Aqui a gente pode usar relógio no pulso sem medo de assalto!” E ainda mandou foto para tripudiar.

Pensando bem…
…guarde bem esse momento porque será uma das raras sextas-feiras de trabalho no Congresso.

poder sem pudor
Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo