Férias, para que te quero?

Por Vânia Goulart

O mundo mudou, o mercado mudou, mas a maioria dos profissionais ainda trabalha pensando nas férias. Você pode estar se perguntando: “Mas isso está errado?”. Claro que não. É bom estar de férias, renovar as baterias; fazer oscilar o cérebro, diriam os neurocientistas.

Desfrutar de tempo livre em busca de novos conhecimentos, desafios e oportunidades é sempre muito válido. Tudo aquilo que soma como ampliação de visão, desperta a consciência, faz você se sentir melhor e cria novas sinapses! Lubrificante maior não há para nossa pequena máquina chamada cérebro.

No entanto, existem muitas pessoas que se desgastam tanto no trabalho que só usam as férias para dormir e descansar. É como se fosse um celular descarregado que precisa ficar parado para recarregar.

Quando me deparo com estas pessoas, lembro de um filósofo que gosto muito: Confúcio. “Procure um trabalho que ame e nunca mais vai precisar trabalhar”. Bom, se você ainda não encontrou este lugar, mova-se! Procure novas atividades ou tente fazer seu trabalho de forma diferente, mas, obrigatoriamente, faça! Esteja em um lugar que goste, que se sinta útil, que te permita fazer boas conexões e se desenvolver.

Pesquisas afirmam que o maior índice de depressão na atualidade vem do trabalho, do ritmo acelerado do mundo moderno e da incompatibilidade entre os valores das empresas e seus colaboradores. Saia de férias em busca do emprego dos seus sonhos.


Vânia Goulart é psicóloga formada pela Ufes; mestre em Administração Estratégica pela Fucape; especialista em Psicologia Organizacional, do Trabalho e do Trânsito; coach profissional pelo Personal and Professional Coaching e diretora fundadora da Selecta.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo