Make e filtro solar com cor protegem a pele da “luz visível”

Por Angélica Banhara

Você sabe a importância de proteger a pele contra a radiação solar. Se os raios UVB (que causam vermelhidão) e UVA (responsáveis por manchas, envelhecimento e câncer de pele) são conhecidos, os holofotes se voltam para para a chamada “luz visível”.

A luz visível é toda luz que enxergamos a olho nu: a emitida pelas lâmpadas fluorescentes e aparelhos eletrônicos — celular, tablet, televisão e computador — e também a da claridade do sol. Esse tipo de luz corresponde a cerca de 40% da radiação total que chega ao planeta.

"Essa radiação penetra profundamente na pele, aumenta a produção de radicais livres e é grande responsável pelo envelhecimento precoce e pelo surgimento de manchas escuras, como o melasma”, afirma a dermatologista Inaê Cavalcanti Machado, de São Paulo.

Segundo estudo realizado pelo Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), a luz visível amplifica os danos causados pelos raios UVA: a radiação UVA danifica a pele e a torna mais sensível aos efeitos nocivos da luz visível. Para se ter uma ideia, 45% da radiação solar que atinge a pele é composta de luz visível e somente 5% de raios ultravioleta (UVA e UVB) – daí a importância de se proteger também contra a luz visível.

Inaê dá as dicas.

  • Só barreiras físicas protegem da luz visível: roupas, bonés, óculos e… protetor solar com cor ou a própria maquiagem com filtro solar.
  • O calor e o aquecimento (raios infravermelhos) colaboram para as manchas. Para combater esse efeito, resfrie a pele com água termal — as versões nacionais são eficientes.
  • Para a exposição ao sol na praia ou piscina, há dois tipos de filtros solares: os químicos, com substâncias que reagem com a radiação solar e impedem sua penetração na pele, e os físicos, com minerais (como dióxido de titânio e óxido de zinco) que formam uma barreira que reflete a radiação (e protegem também da luz visível).
  • O protetor solar deve ter FPS (fator de proteção solar) 30 ou mais e precisa ser reaplicado a cada 2 horas.

A dermatologista ressalta outros pontos importantes:

1. A hidratação da pele a protege dos danos causados pelo sol e pela luz visível. “Uma pele bem cuidada e hidratada com ativos naturais (como o aloe vera) ou tecnológicos (ácido hialurônico, caviar, ouro, platina e proteínas de células tronco, por exemplo) é menos vulnerável a manchas e ao envelhecimento precoce”, diz Inaê.

2. A hidratação da pele e a prevenção e o tratamento das manchas também acontecem de dentro para fora, com o uso de ativos específicos (consulte um dermatologista para saber o que é mais indicado para você). Seguem alguns exemplos:

  • Polypodium leucotomos: considerado um protetor solar em cápsulas, protege a pele dos danos do sol (mas não substitui o filtro solar).
  • Hidroxitirosol (ativo presente nas substâncias Oli-Ola e BioBlanc): ativo natural extraído da oliveira que atua como um peeling em cápsulas. Com ação antioxidante (combate os radicais livres), retarda o envelhecimento das células, contribui para a uniformização do tom da pele (diminui a hiperpigmentação), promove a renovação celular e estimula a produção de colágeno e elastina.
  • Cerasomosides: ativo natural retirado de um trigo orgânico produzido na França que promove uma hidratação intensiva da pele e tem efeito antiinflamatório. É antioxidante (previne o envelhecimento) e melhora a elasticidade da pele.

Inaê cita ainda os produtos com substâncias que aumentam a síntese e estimulam a formação de “aquaporinas”, canais formados por proteínas especiais que atravessam a membrana celular e conduzem seletivamente as moléculas de água para dentro e fora da célula — trata-se do principal sistema de irrigação da pele.

Pronto! Agora você tem todas as informações para aproveitar o verão protegido.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo