Funasa era um reduto petista. E continua sendo

Por Cláudio Humberto

Na contramão de iniciativas do governo Jair Bolsonaro, a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) continua tomada de conhecidos militantes do PT. O cargo do presidente da Funasa está vago desde a saída de Rodrigo Dias, indicado de Michel Temer para a Anvisa. Assumiu então Márcio Cavalcante, ex-diretor de administração da Funasa/Maranhão, que responde a Processo Administrativo Disciplinar na fundação.

Velhos enrolados

Em setembro de 2018, o TCU identificou indícios de superfaturamento de R$ 12,2 milhões em contratos da Funasa na área de tecnologia.

Tudo dominado

Paulo Lyra, segundo colegas um petista histórico, virou chefe de gabinete do presidente interino da Funasa.

Governo Dilma

Ruy Gomide Barreira, diretor de Engenharia de Saúde Pública, voltou a dar as cartas na Funasa. Ele está lá desde 2011, no governo Dilma.

Aliança PT-MDB

Políticos maranhenses sustentam o presidente interino da Funasa: o ex-senador João Alberto e o deputado João Marcelo, ambos do MDB.

Proposta do imposto único voltará com força

A transformação do PSL de Luciano Bivar em partido gigante, que terá a maior bancada na Câmara dos Deputados a partir de 1º de fevereiro, e a presença de Marcos Cintra na equipe do ministro Paulo Guedes (Economia), como secretário da Receita Federal, garantem o retorno à pauta de discussões do país a criação do Imposto Único, adotado em vários países. É a bandeira empunhada toda vida por Bivar e Cintra.

O retorno da frente

Agora de volta à Câmara, Luciano Bivar já articula o ressurgimento da Frente Parlamentar pelo Imposto Único, com deputados e senadores.

Na Europa, é IVA

Na União Europeia vigora o IVA (Imposto de Valor Agregado), que incide sobre qualquer tipo de pagamento.

CPMF boazinha

Especialistas propõem a criação de tributo sobre movimentação financeira cuja alíquota seria descontada da versão nacional do IVA.

Pau que bate em Chico…

Conversas de bastidores dão conta de que o número de militares no Planalto sofrerá redução. São tantos, milhares, que muita gente compara o palácio a um quartel. O facão serve para eles também.

Posse deu 30 no Ibope

Coordenado pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), o pool de 11 emissoras que transmitiu a posse do presidente Jair Bolsonaro atingiu 30,3 pontos no Ibope de audiência média, ou 19,8 milhões de pessoas.

Que vexame

Coleguinhas deveriam dar um Google antes de escrever o que não entendem. Houve quem publicasse que o embaixador Roberto Azevêdo, diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), principal órgão multilateral do mundo, era “contra o multilateralismo”.

Perdidos

O presidente nacional do PTB, ex-deputado Roberto Jefferson (RJ), deve se reunir com a bancada do partido para definir o que fazer. O desmonte do Ministério do Trabalho deixou os petebistas sem rumo.

Poder passageiro

Importante empresário e pecuarista sul-mato-grossense, Paulo César Oliveira saiu com esta negando-se aceitar a ideia de ocupar cargo público: “o poder é passageiro; o resto é cobrador e motorista.”

Educação só faz bem

O novo presidente da Apex, Alecxandro Carreiro, cumprimentou cada um dos funcionários da agência de promoção comercial, apertando-lhes as mãos. Funcionários dizem que nunca viram isso por lá.

Meta atingida

De março a dezembro, a taxa de desemprego caiu 8 vezes seguidas. O ano vai se encerrar com uma taxa de desemprego (11,6%) menor que em janeiro (12,2%). Era uma das principais metas de Michel Temer.

Bola de cristal

Deve ocorrer mais cedo do que se imaginava o encontro, no xilindró, de um ex-presidente do Senado com o ex-presidente da Câmara e o ex-presidente da República que lá já se encontram.

Pensando bem…

…os R$ 3 bilhões de orçamento podem explicar porque a Funasa virou reduto do PT no governo federal.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo