STF pressionado a apoiar ‘trem-bala da alegria’

Por Cláudio Humberto

Dirigentes da Fenajufe, entidade de servidores da Justiça e do MPF, reuniram-se com o ministro Antonio Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), para pressioná-lo a apoiar proposta que é um escândalo: elevar a escolaridade dos técnicos de nível médio sem concurso público. O impacto do “trem-bala da alegria” pode chegar a R$ 4,5 bilhões por ano, para atender cerca de 80 mil servidores.

Trem indecoroso

Além do impacto bilionário, a proposta é chamada de “trem-bala da alegria” por suprimir a exigência constitucional de concurso público.

Cármen resistiu

Antes de Toffoli, a entidade diz em seu site que fez 14 “tentativas oficiais” junto à ex-presidente Cármen Lúcia, que resistiu bravamente.

Contestação

O “trem-bala da alegria” é rebatido pela Anajus, entidade de analistas do Judiciário e do MPU, que também irá falar com o presidente do STF.

Briga de categorias

O bilionário “trem-bala da alegria” atenderia 80 mil técnicos de nível médio, diz a Anajus, prejudicando 40 mil analistas de nível superior.

Empresas aéreas: Temer faz história, TCU papelão

Enquanto o presidente Michel Temer garante lugar na história da aviação civil, transformando o mercado com a medida provisória que autoriza 100% de capital estrangeiro nas empresas aéreas, o Tribunal de Contas da União (TCU) se apequenou curvando-se ao lobby das companhias, avalizando a cobrança abusiva pelo transporte de malas. O TCU alega que isso seria “favorável ao consumidor”. Só para suas excelências, que viajam de classe executiva e por conta do cidadão.

Brasil no século 21

O atrasado Código Brasileiro de Aeronáutica limitava a 20% o capital estrangeiro nas empresas aéreas. A MP põe o Brasil no século 21.

MP da libertação

A legislação anacrônica subjugava o brasileiros à reserva de mercado para empresas ineficientes e gestores incompetentes.

Capital é o que importa

A empresa aérea precisa ser brasileira, mas, para isso, basta ter sede no País. O desejado aporte de capital por ser inteiramente estrangeiro.

Moro corre riscos

O perigo parece iminente: o futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, chegou aos estúdios da Band em Brasília, para gravar entrevista a José Luiz Datena, protegido por seis seguranças, tensos e armados.

Tecnologia pirata

Quatro das cinco condenações contra o Brasil mantidas esta semana na Organização Mundial do Comércio (OMC) têm a ver com programas de incentivo fiscal para áreas de tecnologia.

O colecionador

O ministro Alexandre Baldy (Cidades) coleciona convites: foram sete governadores que o chamaram para ser secretário. Fez opção pelo governo João Doria. Cuidará da área de Transportes Metropolitanos.

PR quer apito

Orientados por Valdemar da Costa Neto, proprietário do partido, deputados do PR resolveram cobrar a fatura do apoio já declarado ao governo Jair Bolsonaro. Eles querem “espaço”.

Diz que não estou

O dono do PRTB, Levy Fidélix, aquele de bigodes e cabelos retintos, tem sido evitado no governo na transição. Militares que cercam o presidente eleito o acham cafona e muito tagarela.

O que era ruim ficou pior

Silenciosamente, o Banco do Brasil deixou de operar com as agências dos Correios. As agências do banco que já viviam cheias, agora estão superlotadas de gente. O serviço, um horror.

Boca livre na Rouanet

O Ministério Público Federal fez 27 denúncias nos últimos dias à 3ª Vara Criminal Federal de São Paulo no âmbito da operação Boca Livre, que investiga o desvio de recursos carimbados com a Lei Rouanet.

Inimigo externo

O ditador da Venezuela se acha. Diz que Estados Unidos, Brasil e Colômbia articulam seu assassinato. Nicolás Maduro é só mais um tirano decadente arrumando inimigo externo para se manter no poder.

Pensando bem…

…no mundo livre, só no Brasil o investimento estrangeiro é tratado como “invasão”.

poder sem pudor Arte / Metro Jornal

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo