A importância do curso superior

Por Vânia Goulart

A coluna de hoje continua a série “Perguntas do leitor”

Hoje, muitas pessoas se destacam no mercado de trabalho sem um curso superior, mas é preciso foco. Os cursos superiores tornam-se a cada dia mais acessíveis. Na contramão disso, há uma oferta cada vez menos qualificada. A lei da oferta e da procura também se manifesta aqui. Como existem muitas Instituições e cursos no mercado, os valores caem para que as ofertas se apresentem competitivas. Como consequência, paga-se pouco aos docentes. Dessa maneira, ocorre um processo de desintegração da qualificação superior.

Para responder à pergunta sobre a importância do curso superior é importante observar primeiro os seus objetivos de carreira. Para ser empreendedor não é necessário saber conteúdos teóricos específicos. Estatisticamente, os maiores empresários criaram suas empresas com pouca ou nenhuma formação de nível superior. Muitos empresários abrem suas empresas e as desenvolvem, mas sua descendência, apesar de preparada intelectualmente, não consegue sustentá-la. Esse é o dilema de mais de dois terços das empresas familiares no mundo.

Ter boa formação, buscar fazer um curso superior é, sim, muito importante. Mas é necessário também desenvolver suas competências relacionais e buscar um propósito para colocá-las a favor do seu empreendimento.

O engajamento de um profissional ao trabalho não está relacionado ao seu nível conhecimento, mas sim à sua percepção de entrega e de definição do caminho a ser percorrido. Na maioria dos casos, o empreendedor não fica apenas se preparando e imaginando o que será preciso. Ele simplesmente acorda e vai fazer! O empreendedor reage às necessidades emergentes, busca por pessoas complementares para somar e, assim, vai fazendo seu negócio crescer.

Hoje existem cursos que não existiam há dez anos atrás. Outra grande transformação diz respeito aos cercos de segmentação do mercado de trabalho e sua conexão com as áreas de concentração do ensino. No passado, o profissional que se graduava em engenharia civil possivelmente iria trabalhar no mercado de construção civil. Atualmente, a sua formação é apenas um primeiro passo para a estruturação da sua carreira, porque as possibilidades de atuação do mercado de trabalho são ilimitadas. Pesquisas apontam que grupos de trabalho diversificados são os mais produtivos e inovadores.   

A maior conquista é estar aberto ao conhecimento, independentemente da sua formação.

Contenido Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo